O que esperar dos primeiros Ubuntu Phones

Se você está sempre se mantendo atualizado com o mundo da tecnologia, já deve ter visto falar do Ubuntu Touch. Se ainda não ouviu falar, saiba que é o sistema operacional baseado em Linux destinado a dispositivos móveis criado pela Canonical, que também possui uma versão para PCs de mesmo nome (Ubuntu).

A Canonical vai lançar o Ubuntu Touch no novo Meizu MX4. A confirmação veio do blog oficial da própria Meizu italiana. O acordo entre a chinesa e a Canonical irá levar o Ubuntu Touch na versão final para o MX4 em Dezembro. Sem falar que, segundo o site PCWorld, o Ubuntu Touch já está na versão RTM (release-to-manufacturer).



O que esperar do Ubuntu Touch?

É esperada uma bateria de longa duração, pois o Ubuntu Touch não permite que os aplicativos sejam executados em segundo plano, como acontece nos dispositivos Android.

Acontece que as aplicações de fundo são capazes de continuar funcionando por um curto período, enquanto o usuário não estiver utilizando, mas o seu acesso aos recursos de CPU, GPU ou de rede não está garantido. Mas os apps serão listados no App Switcher, e será imediatamente devolvido à vida, logo que você chamá-los de novo.


O Ubuntu Touch também terá muitos aplicativos, isso é o que espera a Canonical, pois, além de apps nativos, o SO mobile da companhia traz apoio ao HTML5 bastante robusto no Ubuntu SDK.

OS apps em HTML5 (e alguns apps não oficiais Qt/Qml Ubuntu App, como Facebook) são tão integrados ao sistema que é praticamente impossível alguém dizer que não é um app nativo do SO. Eles podem entregar notificações, integração com o hub de conteúdo para compartilhamento de mídia, e assim por diante.

Ao contrário do Android, Windows Phone e iOS, o Ubuntu Touch traz uma página padrão que usa 'Scopes' que organiza o conteúdo em categorias, como vídeo, música, ou conteúdo web partir de uma fonte específica, como o eBay, The Weather Channel e Grooveshark.


Scopes coloca contextualmente informações ricas literalmente na ponta dos dedos, assim que você precisar deles. Podendo até serem adicionados, removidos, organizados em favoritos e reorganizados para criar uma experiência sob medida para o usuário.

FONTE: OMG! Ubuntu! | Ubuntu | PCWorld

COMENTÁRIOS