Pesquisa revela que games digitais são mais prejudiciais ao meio ambiente do que as cópias físicas

Segundo uma pesquisa divulgada pelo Journal of Industrial Ecology e compartilhada através do OnlineLibrary, um jogo digital pode ser muito mais prejudicial para o meio ambiente do que as cópias físicas.

Intitulado de “The Carbon Footprint of Games Distribution”, o estudo procurou investigar o consumo de energia exigido para a distribuição de cada formato. Como base para a análise, os pesquisadores utilizaram o sistema de distribuição de jogos de PlayStation 3 no Reino Unido.

A pesquisa envolveu dois cenários de distribuição de jogos: os discos de Blu-Ray entregues para as principais redes varejistas e os jogos oferecidos através da loja virtual. Com isso, foi concluído que a energia necessária para gerar os dados de um jogo digital emite cerca de 21,9 e 27,5 Kg de dióxido de carbono. No caso da cópia física, a taxa de CO2 é de 20,8 Kg.

A análise só se aplica aos jogos que possuem mais de 1,3 GB, ou seja, títulos menores emitem menos CO2 do que a cópia física – normalmente, jogos com um tamanho menor do que isso nem são comercializados em redes varejistas. Nos dias de hoje, ainda mais com o lançamento dos consoles da nova geração, é raro ver títulos com menos de 1,3 GB (exceto games indies, que geralmente possuem alguns MB).

O que também deve ser levado em conta é que os títulos físicos podem ser reciclados, ao contrário de suas versões digitais que ficarão vinculadas eternamente à sua conta. Para conferir o estudo completo, incluindo os dados realizados durante os testes, clique aqui.

FONTE: Tecmundo | IMAGEM: GameBlast

COMENTÁRIOS