Driver de vídeo open source da AMD terá suporte para a série Radeon HD 7000


O AMDGPU, driver de vídeo open source da AMD, também será compatível com GPUs mais antigas da empresa, especialmente para a série Radeon HD 7000, mais conhecida como Southern Islands, ou seja, hardware GCN 1.0. Espera-se também que um suporte experimental para a família de placas de vídeo em questão esteja disponível muito em breve.

A informação vem de um comentário feito por John Bridgman, da AMD, no Reddit quando foi questionado por um usuário se o driver de vídeo open source da empresa, que já vem implementado nas novas versões do Linux Kernel, também terá suporte para hardware GCN 1.0.

"O suporte para SI [Southern Islands] no amdgpu está fazendo bom progresso, esperando para obter o primeiro código público nas próximas duas semanas", diz John Bridgman. "Assim que tivermos realizado testes suficientes com o suporte e corrigirmos erros suficientes que deixe-o ser um substituto digno para o radeon, vamos trabalhar com o mantenedor superior para fazer alguns testes públicos, em seguida, ativá-lo por padrão (desativando o radeon para os mesmos chips compatíveis com o amdgpu)."

Como já se passaram duas semanas desde que John Bridgman publicou seu comentário, tudo leva a crer que, caso ainda não tenham iniciado os testes públicos em que ele se refere em seu texto, deve começar muito em breve. Mesmo que o driver de vídeo Radeon DRM ofereça um suporte maduro para a família Southern Islands, o novo driver proprietário da empresa que traz a API Vulkan, o AMD Radeon GPU-PRO, só irá rodar dobre o AMDGPU, mas não com o Radeon, que é compatível com placas de vídeo mais antigas, como as séries de GPUs Radeon HD 5000 e 6000.
AMDGPU vs Catalyst: confira testes de benchmarks com o novo driver open source da AMD
Assim que o patch para o AMDGPU com suporte para a família de GPUs Southern Islands estiver disponível, ainda levará um tempo para que ele seja implementado no Linux Kernel. Provavelmente, chegará tarde de mais para ser revisto e adicionado ao Linux Kernel 4.7, mas deve ser integrado na versão 4.8. No entanto, ainda estará desativado por padrão para que sejam realizados mais testes até que tudo seja considerado estável para o usuário final.


FONTE: PhoronixReddit

COMENTÁRIOS