Novo driver Vulkan 'RADV' para GPUS AMD é implementado no Mesa, confira alguns benchmarks


Se você é daqueles que possuem uma placa da AMD e não tem muita esperança no driver proprietário da empresa, o AMDGPU-PRO, temos uma boa notícia para você. Um driver Vulkan criado pela comunidade, conhecido como RADV, feito especialmente para lidar com GPUs do lado "vermelho da força", acaba de ser implementado no código base da biblioteca de gráficos 3D Mesa.

O novo driver open source teve seu desenvolvimento iniciado anda neste ano, por David Airlie e Bas Nieuwenhuizen, e já consegue executar alguns jogos que fazem uso da API Vulkan no Linux, embora não seja com perfeição. A novidade também vem em resposta a AMD, que prometeu abrir o código fonte de seu driver Vulkan para a comunidade Linux à oito meses atrás, mas nada ainda foi feito por parte da empresa. Com isso, a solução pode acabar pressionando a companhia no sentido de tornar seu software open source.

Enquanto Bas Nieuwenhuizen é um colaborador independente, David Airlie é um mantenedor do subsistema DRM (Direct Rendering Manager) e desenvolvedor da Red Hat, onde ultimamente esteve envolvido em trabalhos realizados no driver open source RADV para placas da AMD.

RADV faz uso do compilador back-end AMDGPU LLVM, NIR, e das interfaces do driver DRM de kernel AMDGPU. Ainda, segundo David Airlie, RADV é baseado no driver Vulkan da Intel, conhecido como "ANV", enquanto o WinSys para fazer a interface com o código do kernel AMDGPU DRM é portado do Gallium3D.

Um driver Vulkan em progresso

Embora o RADV já consiga rodar os jogos Vulkan disponíveis para Linux (Dota 2, vkQuake e The Talos Principle), o novo driver não está plenamente em conformidade com a API Vulkan 1.0, já que algumas características ainda não estão presentes. Além disso, não há muito espaço ainda para mais otimizações de desempenho.

The Talos Principle rodando perfeitamente com RADV.

Como o novo driver faz uso do AMDGPU DRM, ele também está limitado aos modelos de GPUs suportados pelo driver da AMD. Ou seja, apenas hardwares Volcanic Islands (Fury, Tonga e etc) e Polaris (série RX 400) atualmente possuem suporte. Vale ressaltar que o RADV estará disponível apenas no próximo lançamento do Mesa, provavelmente Mesa 13.0.

Em fim, os benchmarks

O site Phoronix realizou alguns testes de benchmark com o RADV em comparação com o RadeonSI (OpenGL) e AMDGPU-PRO 16.30.3 (OpenGL/Vulkan). Isso nos deixa conferir como anda o novo driver em todas as opções possíveis com os jogos Dota 2 e The Talos Principle.

O hardware utilizado foi um processador Intel Xeon E3-1280 v5 @ 4.00GHz (8 Cores), 16 GB de memória RAM e as GPUs AMD Radeon R9 285, RX 460, RX 840 e R9 Fury. O sistema operacional foi o Ubuntu 16.04 LTS de 64 bits. Confira os resultados abaixo:

Radeon vs AMDGPU-PRO (OpenGL)

RADV vs AMDGPU-PRO (Vulkan)

Radeon vs AMDGPU-PRO em 4K (OpenGL)

Radeon vs AMDGPU-PRO (OpenGL)

RADV vs AMDGPU-PRO (Vulkan)

Radeon vs AMDGPU-PRO em 4K (OpenGL)

RADV vs AMDGPU-PRO em 4K (Vulkan)

Nos testes realizados pelo pessoal do Phoronix, fica claro que o AMDGPU-PRO permaneceu mais rápido em ambas as APIs OpenGL e Vulkan. Isso só nos mostra que os desenvolvedores por traz do RADV ainda tem muito trabalho pela frente para melhorar a performance do driver, principalmente se eles querem realmente entregar algo perfeitamente competitivo à solução oferecida pela AMD, mas, se levarmos em consideração que o driver nasceu há alguns meses atrás, um grande passo já foi dado nesse sentido.

Outro detalhe que você provavelmente deve ter nodado nos testes é que a renderização Vulkan dos jogos utilizados nos benchmarks, em comparação com o OpenGL, é mais rápida quando se usa o AMDGPU-PRO. Isso nos mostra que o driver da AMD está mais maduro, além de, claro, que é possível obter ganhos significativos com a API Vulkan, o que não é mais nem uma surpresa para ninguém.

Certamente será interessante ver o quão longe os desenvolvedores do RADV podem chegar sem nem mesmo ter a ajuda da AMD. Para mais detalhes sobre os benchmarks apresentados aqui, confira o artigo completo do site Phoronix.



FONTE: Phoronix
IMAGENS: Phoronix

COMENTÁRIOS