Devs do openSUSE não devem mais oferecer suporte ao AMD Catalyst (fglrx)


Já faz um pouco mais de um ano que a AMD parou de atualizar o seu driver proprietário para Linux Catalyst, chamado pela comunidade de fglrx, onde a empresa não conseguia oferecer suporte oficial para as versões mais recentes do kernel Linux ou X.Org Server, tornando o software um tanto desastroso. E, desde então, a companhia vem investindo muito no seu driver open source AMDGPU, bem como no AMDGPU-PRO.

Contudo, parece que o pessoal do openSUSE não tem se agradado nem mesmo do AMDGPU-PRO, o novo driver proprietário da empresa, o que fez com que o desenvolvedor Bruno Friedmann anunciasse na última quarta-feira (07) o fim do suporte de ambos fglrx e AMDGPU-PRO. Segundo ele, existiu a esperança de fazer o fglrx rodar no Leap 42.2 no mês de outubro, porém, as coisas não funcionaram como o esperado, que era uma "sessão xorg estável".

"Diga: adeus fglrx!, repita depois de mim, adeus fglrx", afirma Bruno Friedmann.

No caso do AMDGPU-PRO, Bruno Friedmann afirma que não possui um modelo de placa de vídeo da AMD mais recente para realizar testes, já que o driver só possui suporte oficial para novas GPUs da empresa. Além disso, segundo o desenvolvedor, a AMD está mais interessada em dar suporte adequado apenas ao Ubuntu, bem como oferecer pacotes no formato .deb.

"Eu certamente não ajudarei porcaria proprietária, se eu não tiver uma base sólida para trabalhar com e um pouco de ajuda da AMD. Desejo boa sorte para aqueles que querem experimentar os drivers [fglrx e AMDGPU-PRO no Leap 42.2]", diz Bruno Friedmann.

No entanto, para aqueles que por algum motivo em especial ainda precisam fazer uso do fglrx, o desenvolvedor recomenda que esses usuários em específico continuem no openSUSE Leap 42.1. Além disso, vale ressaltar que a distribuição Linux ainda continua oferecendo suporte para placas da AMD, mas apenas com os drivers open source AMDGPU e Radeon.


FONTE: openSUSE

Comentários