Novo beta público de Mad Max para Linux traz suporte para a API Vulkan; confira benchmarks


A Feral Interactive anunciou hoje, 30 de março, através de um post em seu perfil oficial no Facebook que um novo beta público de Mad Max agora está disponível para os jogadores Linux, que chega trazendo uma grande novidade: o suporte para a API Vulkan. Mas não para por ai, já que a novidade também proporciona, como era de se esperar, algumas mudanças poderosas no desempenho.

É importante ressaltar desde o início também que o beta não suporta oficialmente o SteamOS, mas apenas as distribuições Linux "tradicionais". Além disso, o suporte para a Vulkan só está disponível na versão para a plataforma Linux, ou seja, atualmente não está na versão do Windows e ainda não se sabe se em algum momento no futuro a novidade deve chegar também na versão do jogo para o sistema da Microsoft.

Confira abaixo um pequeno gameplay feito por Renato do canal Fast OS onde ele faz um comparativo com ambas as versões OpenGL e Vulkan de Mad Max:



Obtendo o beta

Para ter acesso ao beta, em sua biblioteca do Steam, clique com o botão direito do mouse em Mad Max e selecione Propriedades. Em seguida, vá na aba Betas e, na caixa de texto, digite a senha: "livelongandprosper" e verifique o código (Check Code). Uma mensagem aparecerá para confirmar que você agora tem acesso ao vulkan_beta.

Agora, no menu suspenso, acima da caixa de texto, selecione vulkan_beta. Caso Mad Max já esteja instalado em seu sistema operacional, uma atualização começará a baixar automaticamente. Você pode desligar a Vulkan para voltar ao OpenGL usando a caixa de seleção "Use Vulkan" na seção Avançado do Feral Launcher.

Drivers e hardwares suportados

Segundo a própria Feral Interactive, os drivers suportados são o NVIDIA 375.26, o AMDGPU-PRO nas versões 16.50 e 16.60, embora a versão 16.60 tenha uma regressão que faz com que o jogo apareça mais escuro do que deveria, porém, felizmente, uma correção para isso já está em andamento.

Como era de se esperar, os drivers open source Vulkan (RADV e ANV) para placas da AMD e para os gráficos integrados da Intel também são suportados, isto é, graças aos recentes avanços obtidos pela biblioteca de gráficos 3D Mesa. Sendo assim, será necessário ter o Mesa 17.1 (versão de desenvolvimento) devidamente instalado. Caso você seja um usuário do Ubuntu, é possível obter o Mesa 17.1 através do PPA Padoka.

Já os hardwares suportados, no cado da Intel que faz uso do driver Vulkan ANV, o usuário terá que possuir processador com microarquitetura Broadwell ou Skylake. Chips com arquitetura Haswell ainda não são suportados. Já os donos de GPUs da AMD ou NVIDIA devem conferir quais modelos de GPUs são suportados pelos drivers dos respectivos fabricantes.

Caso você possua uma GPU da AMD e quer optar em usar o driver Vulkan open source RADV, é bom ter em mãos uma placa de vídeo de modelo mais recente, como a família Volcanic Islands (Fury, Tonga, Fiji e etc) e Polaris (série RX 400).

Em fim, os benchmarks

A Feral Interactive aproveitou a ocasião para adicionar na versão do jogo para Linux um novo modo de benchmark, que você pode acessar usando “--feral-benchmark” nas opções avanças de inicialização do game no cliente do Steam. Este é um recurso exclusivo da versão do título para Linux, pois a versão para Windows não tem um modo de benchmark apropriado.

Os resultados do teste de benchmark estará disponível dentro da sua home no diretório: ”.local/share/feral-interactive/Mad Max/VFS/User/AppData/Roaming/WB Games/Mad Max/FeralBenchmark”. Cada teste individual de benchmark demora cerca de 5 minutos, então você deve ir preparar um café enquanto os benchmark estão sendo executados.

Logo abaixo você confere testes de benchmarks realizados pelo site GamingOnLinux, que teve acesso antecipado ao novo beta público de Mad Max:





Os resultados acima não só mostra o poder da API Vulkan, mas também o nível de compromisso da Feral Interactive com os jogadores Linux. A desenvolvedora vem fazendo um ótimo trabalho, apesar das limitações do OpenGL que ficam ainda mais claras com os testes apresentados aqui.

A API Vulkan é extremamente necessária para os jogos no Linux, sejam estes ports, no caso de games desenvolvidos inicialmente com o DirectX 11, por exemplo, ou totalmente nativos, proporcionado um ótimo desempenho.

Este é só o início! Mais jogos para o sistema do pinguim devem ganhar suporte para a Vulkan e mais games devem ser lançados com a API. Mais novidades devem ser anunciadas em breve, então, fique ligado no LinuxBuzz.


FONTE: GamingOnLinux

Comentários