Alguns da comunidade Ubuntu querem manter o Unity 8 e Ubuntu Touch


Após o anunciou da Canonical de ontem, onde a empresa revelou que vai abandonar o desenvolvimento do Unity 8 e por fim ao projeto Ubuntu Touch, alguns membros da comunidade Ubuntu decidiram ir na contra mão da decisão da empresa e estão determinados a manter os projetos em andamento, como é o caso de Marius Gripsgård, desenvolvedor muito conhecido por seu trabalho no UBports, uma iniciativa da comunidade para tentar portar o Ubuntu Touch para o maior número possível de dispositivos.

Em uma publicação feita por Marius Gripsgård em seu perfil oficial do Google+, ele afirma não estar desistindo e continua: "Vou fazer o meu melhor para manter o Ubuntu Touch e Unity8 em pé em ambas as pernas! Vai ser difícil. A roda do Ubuntu Touch ainda está girando e tem impulso suficiente para girar até que comecemos a girar esperançosamente com maior força. Espere algumas notícias e ideias de projetos da equipe Ubports nas próximas semanas."

Além disso, separadamente, existe uma página hospedada no domínio unity8.org que promete oferecer um fork baseado no código do ambiente gráfico Unity 8. "Seguindo com o anúncio de Mark Shuttleworth para abandonar o desenvolvimento do Unity 8, estamos planejando um fork e continuaremos trabalhando no projeto", informa o site. Caso você esteja curioso, o O repositório do projeto está disponível no GitHub, clicando aqui.



E não para por ai. No Reddit e em outros locais diversos usuários estão expressando interesse também na continuidade do desenvolvimento do Unity 8 por conta própria. De acordo com o site Phoronix, com todos este movimento na comunidade, a primeira coisa que deve acontecer é o port do Unity 8 do gerenciador de exibição Mir para o aclamado Wayland ou, porque não, X.Org, já que seria difícil ver a comunidade tentando amadurecer e manter o Mir.

Como a proposta também é de manter o sistema operacional móvel Ubuntu Touch, com Wayland também é possível perseguir com as ambições móveis graças a biblioteca libhybris, além de ter algo mais em comum com Tizen e Sailfish.

Outro motivo para os desenvolvedores portarem o ambiente gráfico para o Wayland é que o XMir não faz parte do mainline xorg-server, o que causaria uma carga de manutenção enorme, além de ter que manter back-ends Mir do Qt, SDL e GTK, entre outros, quando eles poderiam usar o Wayland, que está mais maduro. De qualquer forma, será interessante ver o que a comunidade irá fazer com o futuro do Unity 8.

Nas próximas semanas, Marius Gripsgård, o fundador da UBports, publicará em breve mais detalhes sobre os planos dele e de sua equipe para manter vivo o sistema operacional móvel Ubuntu Touch, da Canonical.

Então, fique ligado no LinuxBuzz para mais novidades.


FONTE: Phoronix | SoftpediaMarius Gripsgård/Google+

COMENTÁRIOS