Canonical anuncia o fim do desenvolvimento do Unity 8 e o Ubuntu deve voltar a usar o GNOME


É isso mesmo que você leu, não é nem uma brincadeira de 1° de abril atrasada. A Canonical anunciou hoje, 5 de abril, por meio de seu fundador Mark Shuttleworth, que o desenvolvimento do ambiente gráfico Unity 8 deve chegar ao fim, levando o Ubuntu novamente para os braços do GNOME. Além disso, os planos da empresa de oferecer dispositivos convergentes também devem ser abandonados, o que significa também o fim do sistema operacional móvel Ubuntu Touch.

Foi durante o evento Ubuntu Online Summit, no ano passado, onde Mark Shuttleworth afirmou que uma pequena equipe de desenvolvedores trabalharia e realizaria os testes necessários para o próximo ambiente gráfico Unity 8 para o desktop e, caso eles achassem tão estável quanto o Unity 7 nos dias de hoje, o Unity 8 se tornaria o padrão nas futuras versões do Ubuntu para o PC. Contudo, durante estes últimos meses, o Unity 8 não foi muito bem recebido pela comunidade, embora fosse bastante inovador em dispositivos Ubuntu Phone/Tablet.

"Estou escrevendo para que você saiba que vamos encerrar o nosso investimento no Unity8, phone e convergência. Vamos mudar o nosso ambiente gráfico padrão do Ubuntu para o GNOME a partir do Ubuntu 18.04 LTS", explica Mark Shuttleworth.

O Unity 8 e a convergência do Ubuntu não são mais o futuro da computação que o fundador da Canonical já pensou que era. "Eu estava errado em ambos os dois", revela Mark Shuttleworth. "Na comunidade, nossos esforços foram vistos como fragmentação e não como inovação e a indústria não se uniu à possibilidade.



Sendo assim, a Canonical agora concentrará seus esforços em cloud (OpenStack, LXD, Kubernetes, Juju, MAAS, BootStack) e IoT (Internet das Coisas), já que o Ubuntu parece ser o sistema operacional mais usado em infraestruturas de nuvem públicas e privadas. As tecnologias Snappy também serão desenvolvidas, por enquanto, já que existe uma comunidade forte interessada na solução.

Mark Shuttleworth também promete que ainda haverão investimentos na versão do Ubuntu para desktop. Segundo ele, o "investimento e compromisso com o Ubuntu para desktop em que milhões confiam" deve continuar. "Continuaremos a produzir o desktop de código aberto mais utilizado do mundo, bem como manter os lançamentos LTS existentes, trabalhar com os nossos parceiros comerciais para distribuir com o desktop, apoiar os nossos clientes corporativos de confiança e se encantar com os milhões de desenvolvedores IoT e cloud que inovam em cima dele [Ubuntu]."

"A escolha, em última instância, é investir nas áreas que estão contribuindo para o crescimento da empresa. Todos esses têm comunidades, clientes, receitas e crescimento, os ingredientes para uma grande e independente empresa, com escala e dinâmica. Este é o momento de garantir que podemos, através do conselho, que temos a aptidão e o rigor para esse caminho", conclui Mark Shuttleworth.

Você pode ler a postagem completa de Mark Shuttleworth diretamente do site oficial do Ubuntu, clicando aqui.


FONTE: OMG! Ubuntu! | Ubuntu

Comentários