Devs do MATE querem usar o Mir como compositor do Wayland


Com o port do MATE para o GTK3 estando atualmente em um fase avançada, o que garante suporte ao Wayland, os desenvolvedores do ambiente gráfico revelaram que estão negociando com a galera que sobrou do projeto Mir, da Canonical, para saber como o software pode ser usado como o compositor de janelas do Wayland.

O Wayland não é um servidor de exibição por si só, mas também é um protocolo de servidor de exibição que manipula a comunicação entre um compositor (como Mutter, Weston ou KWin) e seus clientes. Migrar para o Wayland é algo que os desenvolvedores do MATE terão que enfrentar em algum momento no futuro, de alguma forma. Eles poderiam adicionar o suporte ao Wayland com o Marco (o gerenciador de janelas do MATE com base no Metacity), mas seria algo muito trabalhoso para a equipe do ambiente gráfico; eles poderiam mudar para Mutter, usado pelo GNOME, mas isso também tem ressalvas.

"Os rumores da morte do Mir são muito exagerados. MATE é uma equipe muito pequena, com tempo extremamente pequeno. Implementar Wayland diretamente está, levando em consideração a nossa velocidade de desenvolvimento atual, a vários anos de distância da IMO. Se o Mir pudesse nos fornecer um caminho mais rápido para suportar o Wayland, nós (e, possivelmente, outros desktops sem suporte ao Wayland) deveríamos adotá-lo", diz Martin Wimpress, do projeto MATE no Google+.

Elevando em consideração que as negociações do projeto MATE com os desenvolvedores do Mir começaram recentemente, não devemos ver tão sedo o ambiente gráfico rodando com o Mir em diversos computadores tão sedo. No entanto, os usuários do MATE poderão ser os únicos a fazer uso do Mir eu seus PCs no futuro.


FONTE: PhoronixMartin Wimpress/Google+

COMENTÁRIOS