Entenda: The Witcher 3 pode não ter sido lançado no Linux por culpa da própria comunidade


Se você é usuário Linux e ama uma boa jogatina, provavelmente, gostaria de ver um port de The Witcher 3 sendo anunciado para o sistema do pinguim, especialmente se você curtiu em se aventurar no segundo título da série, lançado para Linux pela Virtual Programming ainda em meados de 2014. O problema é que The Witcher 3 pode nunca ganhar seu port para Linux por causa da própria comunidade, aponta um ex-desenvolvedor da Virtual Programming no Reddit.

É importante ressaltar desde o início que o ex-desenvolvedor da Virtual Programming, conhecido apenas como "jaycee_1980" no Reddit, não fala oficialmente em nome da empresa, muito menos pela CD Projekt RED, desenvolvedora responsável pela série The Witcher. Esta é apenas uma opinião pessoal dele.

O problema, segundo ele, começa com o lançamento da versão de The Witcher 2 para Linux, que chegou em um estado bem ruim, com um péssimo desempenho e simplesmente não funcionou bem. Após algum tempo, graças a uma nova atualização, os problemas foram resolvidos e muitos jogadores conseguiram obter um bom desempenho. No entanto, antes que isso acontecesse, muitos membros da comunidade não foram nem um pouco gentis com a Virtual Programming e compartilharam o seu ódio, até mesmo, com a CD Projekt RED.

"Eu concordo, as coisas não estavam bem no lançamento... Mas o tom das pessoas foi muito além disso. Foi uma campanha de ódio total contra a VP, contra a CDPR por "mentir sobre o port ser nativo". Eu tentei ajudar as pessoas em meu próprio tempo livre e foi absolutamente ofendido e abusado por isso", afirma o ex-desenvolvedor. "A comunidade precisa perceber que simplesmente não pode justificar esse tipo de comportamento se quiser convencer os desenvolvedores e editores a apoiá-los. Não há desculpa."

Ainda, segundo ele, os jogadores Linux poderiam também ter colocado as mãos no port do primeiro jogo da série The Witcher, porém, devido a "campanha de ódio", a CD Projekt RED voltou traz e decidiu que apenas o Mac deveria ganhar uma versão do game.

"O vitriol era inacreditável. Sim, nós destruímos o desempenho no lançamento, mas nós o corrigimos. No entanto, uma enorme campanha de ódio se seguiu. Ambas, VP e CDPR receberam um grande email de ódio vingativo. Não posso ajudar, mas sinto que isso irrevogavelmente prejudicou a visão da CDPR sobre a plataforma Linux."

"Eles certamente não nos culparam, porque eles nos fizeram trabalhar em um port para Mac de The Witcher 1 para substituir a versão Wineskin que não funcionava. O mesmo port teria funcionado no Linux também com muito pouco trabalho extra, mas eles não estavam interessados em lançá-lo", concluiu.

Como bem lembra o ex-desenvolvedor da VP, é este tipo de atitude que afasta as grandes desenvolvedoras da plataforma Linux, especialmente quando se trata de jogos. Ao que parece, algumas pessoas ainda não entenderam que o desempenho dos ports de jogos que chegam no sistema do pinguim pode ser melhorado a cada nova atualização, bem como a adição de correções para o game envolvendo coisas como textura e física, por exemplo.

Se você ainda acha que este é um caso isolado, o presidente da Blizzard já passou por algo parecido, como aponta o site GamingOnLinux, ao responder uma pequena petição que pedia que a empresa desse suporte também ao Linux. A resposta que o executivo recebeu do criador da petição foi, no mínimo, infantil.

Sim, esperar por um grande lançamento e, no final das cotas, saber que ainda há muitos problemas para serem corrigidos é um tanto irritante, mas insultar os desenvolvedores ao invés de ajudar contribuindo com eles nos faz parecer uma comunidade mal.

Agora é esperar e torcer para que as desenvolvedoras possam, de alguma forma, olhar além disso; para todos os verdadeiros fãs de suas franquias no Linux.


FONTE: GamingOnLinuxReddit[1]  [2]

COMENTÁRIOS