No Linux, você não precisa usar intermináveis linhas de comandos no Terminal


Quando o assunto é usar ou não o sistema do pinguim, é comum vermos o Terminal entre os pontos negativos de se utilizar distribuições Linux, ou seja, como se a distro Linux, embora fosse desenvolvida para usuários iniciantes, possuísse uma dependência excessiva das linhas de comando. Porém, na verdade, você é livre para escolher se quer usar ou não o Terminal, pois as principais tarefas      se não todas      já podem ser feitas sem a ajuda do Terminal.

É isso mesmo que você leu. Obter novos aplicativos, fazer configurações avançadas e, até mesmo, instalar drivers são tarefas que podem ser feitas sem necessariamente ter que executar linhas de comando no Terminal em distribuições Linux como o Linux Mint, uma das distros mais recomendadas para usuários iniciantes, como podemos ver no vídeo abaixo:



No vídeo, do canal Oficina do Tux, é possível ver como pode ser fácil a instalação de novos aplicativos no Linux Mint. Entre os programas que são instalados, está o navegador Chrome, a ferramenta de distribuição digital de jogos Steam e o mensageiro Skype. Além disso, também é possível conferir a ferramenta "Gerenciador de Drivers", que permite instalar e remover drivers facilmente. Tudo isso sem a ajuda do Terminal.

O temido Terminal

Embora já tenha sido mais que provado que é possível usar distros Linux sem chegar perto do Terminal, onde existem ferramentas que permitem que você faça tudo pela interface gráfica, diversos tutoriais pela internet afora (inclusive aqui no LinuxBuzz) ainda pedem que os usuários executem comandos no Terminal. Mas, na grande maioria dos casos, não é necessário digitar todo o comando, bastando apenas copiar, colar e pressionar Enter no teclado e, claro, informar a senha root.

Os passos citados acima acabam agilizando todo o processo e só facilitam a vida dos usuários, que não precisam ter que navegar por janelas e menus ou, até mesmo, instalar uma nova ferramenta para realizar uma determinada configuração avançada no seu sistema operacional.

Além disso, por exemplo, executar algum comando no Terminal facilita também a vida dos usuários que precisam instalar algum aplicativo que exige a adição de um novo repositório de software extra para que possa se manter sempre atualizado com novas versões. Claro, esse processo também pode ser feito por meio da interface gráfica, porém, é muito mais rápido fazer pelo Terminal.

Se você ainda não entendeu onde queremos chegar, vou lhe explicar melhor: o Terminal não é nem uma ferramenta obsoleta, mas poderosa. O seu uso apenas agiliza a realização de tarefas, tornando tudo o mais prático possível (a não ser que você encontre algo mais prático do que copiar e colar) e te da acesso a recursos e configurações avançadas no sistema operacional.

Contudo, se você não se imagina utilizando o Terminal, você pode fazer praticamente tudo apenas utilizando a interface gráfica por meio de ferramentas que geralmente já estão instaladas na distribuição Linux ou, caso contrário, que podem ser obtidas facilmente através da loja de aplicativos. A questão aqui é realmente conhecer a distro que você está usando e saber para que serve cada aplicação.

Experimente você mesmo

Agora que você já sabe que o Terminal não é nem um "bicho de sete cabeças" e que as distribuições Linux, especialmente aquelas que são focadas em usuários iniciantes, não possuem uma dependência excessiva das linhas de comando e do Terminal, chegou a hora de você mesmo experimentar uma distribuição Linux. Se você tem dúvidas de como fazer isso, confira nosso guia para iniciantes.


FONTE: Oficina do Tux/YouTube

Comentários