F1 2017 é lançado para Linux como o primeiro título da Feral que usa apenas a Vulkan


F1 2017 foi lançado na última quinta-feira (02) na plataforma Linux como o primeiro título portado pela Feral Interactive que usa apenas a Vulkan no sistema do pinguim, ou seja, sem suporte para o OpenGL. A chega do jogo com suporte exclusivamente para a API "de baixo nível" pode significar que futuros ports de títulos desenvolvidos pela empresa também serão suportadas pela API gráfica.

Além disso, com a chegada de mais títulos usando a Vulkan na plataforma Linux, os desenvolvedores poderão melhorar o desempenho e refinar ainda mais o suporte com a API especialmente nos drivers open source, onde diversas empresas estão envolvidas no desenvolvimento como, por exemplo, a Valve, AMD, Intel e a própria Feral Interactive. Confira abaixo um pequeno gameplay de F1 2017 no Linux:



O site GamingOnLinux, que teve acesso ao jogo logo no lançamento, realizou alguns benchmarks para saber como anda o desempenho do game no sistema do pinguim. A máquina utilizada nos testes possui um processador Intel i7-5960X de 3 GHz, placa de vídeo GeForce GTX 980 Ti (com o driver de vídeo NVIDIA 387.22) e 16 GB de memória RAM DDR4. A distro Linux escolhida foi o Ubuntu 17.10 e com o game rodando na resolução a 1080p.


Como você pode ver no gráfico acima, mesmo na configuração mais alta, F1 2017 no Linux atinge, no mínimo, a casa dos 60 FPS, o que é ótimo para uma boa jogatina. Contudo, o game ainda consegue entregar mais FPS no Windows:


Assim como aconteceu com os outros ports lançados pela Feral Interactive, o jogo também conta com um launcher totalmente personalizado que permite, por exemplo, fazer algumas configurações relacionadas com a tela e, até mesmo, a possibilidade de enviar relatórios de erros para a desenvolvedora. Além disso, você também pode inserir um endereço de email para que seja enviado junto com o relatório de erro para que a desenvolvedora possa entrar em contato com você.

Atualmente, F1 2017 está disponível no Steam por R$ 105,99.


FONTE: GamingOnLinux

Comentários