O Linux Kernel 4.15 não tratará mais o HTC Vive como um monitor convencional


Atualmente, se você conectar o HTC Vive na sua distribuição Linux favorita, a tela (HMD) do headset de realidade virtual será tratada como um monitor convencional. Mas, graças a David Airlie, da Red Hat, isso não deve mais acontecer com o próximo Linux Kernel 4.15. As mudanças do desenvolvedor também devem beneficiar o SteamVR.

Além disso, as alterações do desenvolvedor também trazem melhorias para o agendamento de prioridade do driver de vídeo open source AMDGPU como um outro benefício para jogos VR no Linux, mas ao usar placas de vídeo AMD.

Este avanço VR mais recente com o Linux Kernel 4.15 deve adicionar uma nova propriedade de conector à infra-estrutura DRM para "non-desktop displays" ou basicamente saídas que não devem ser incluídas como um ambiente de trabalho normal. As alterações também não habilitarão o FBCON (framebuffer console) para monitores que não são convencionais de desktop.

Com essa infra-estrutura está em vigor, o HTC Vive é detectado como um headset VR inicialmente suportado no Linux e com base em seus dados EDID (Extended Display Identification Data) para detecção para tratá-lo como o dispositivo deve ser, um "non-desktop display."

Mais detalhes técnicos sobre essas e outras alterações do desenvolvedor Dave Airlie você confere através deste link.


FONTE: Phoronix

Comentários