Backend NIR do driver RadeonSI agora suporta o GLSL 4.50; mais próximo do OpenGL 4.6


O backend NIR experimental presente no RadeonSI, driver open source responsável por lidar com GPUs AMD a partir da série Radeon HD 7000 e mais recente, está dando um passo definitivo para o Mesa 18.0. Até hoje, ao usar o path de código NIR no RadeonSI, a versão do GLSL (OpenGL Shading Language), também conhecida como GLslang, foi limitada a 1.50 simplesmente por não ter nenhum suporte para tessellation shader, mas, finalmente, agora o GLSL 4.50 é oficialmente suportado      a versão GLSL correspondente ao OpenGL 4.5.

A boa notícia só foi possível graças a Timothy Arceri, desenvolvedor na Valve, que trabalhou no suporte ao tessellation shader. Com isso, agora é possível expor o GLSL 4.50 por todo o path de código do backend NIR do RadeonSI para corresponder ao código do OpenGL 4.5 presente no driver. No processo, isso permite que quase mais de sete mil testes automatizados para implementações OpenGL, conhecidos apenas como Piglit, sejam aprovados.

O objetivo da suíte de testes Piglit é de ajudar a melhorar a qualidade dos drivers OpenGL de código aberto, fornecendo aos desenvolvedores um meio simples de realizar testes de regressão.

Garantindo suporte completo para o OpenGL 4.6

Esta também é uma ótima notícia que indica que o backend NIR do RadeonSI está saindo da fase experimental, pois o código está sendo preparado para a chegada do suporte para a extensão ARB_gl_spirv, que por sua vez permitirá a implementação do SPIR-V, um dos principais recursos do OpenGL 4.6.

No entanto, infelizmente, o suporte para ARB_gl_spirv no RadeonSI não estará disponível a tempo para o lançamento do Mesa 18.0. Mas, espera-se que o suporte para a extensão seja implementado no Mesa 18.1 no próximo trimestre. Caso isso realmente aconteça, veremos o suporte completo para o OpenGL 4.6 no driver de vídeo RadeonSI, bem como no driver Intel i965.

No futuro, os desenvolvedores da AMD também falaram sobre a possibilidade de usar a representação intermediária NIR por padrão, semelhantemente ao que o driver Intel atualmente faz junto com os drivers VC4/Freedreno (e o driver Vulkan RADV). O driver que lida com placas da NVDIA, o Nouveau, também está buscando o suporte para o NIR para fins de computação.

No geral, podemos afirmar que os drivers open source que lidam com placas de vídeo da AMD no Linux estão cada vez mais oferecendo melhor suporte aos hardwares da empresa. Isso também garante mais estabilidade e um maior desempenho, seja executando jogos ou aplicações que usam muito a GPU. Essas melhorias são mais perceptíveis especialmente quando se usa a versão mais recente e estável do Linux Kernel e do Mesa.

Para mais novidades sobre gráficos no Linux, bem como benchmarks no sistema do pinguim, fique ligado no LinuxBuzz.


FONTE: Phoronix

Comentários