Atari VCS ganha mais memória RAM e rodará o ''AtariOS''


No final do mês passado, a Atari anunciou que Rob Wyatt, o arquiteto de sistema do console Xbox original e um dos designer de arquitetura gráfica para o Playstation 3, entrou oficialmente para a equipe do o Atari VCS. Agora, o cérebro por traz do sistema do primeiro videogame da Microsoft respondeu algumas das dúvidas mais comuns entre os jogadores em um post de perguntas e respostas, onde ele revela alguns dos planos da empresa, bem como mais informações sobre o hardware e funcionamento do console.

Em sua postagem, Rob Wyatt reafirma que o videogame contará com uma APU AMD da família Bristol Ridge com gráficos Radeon R7, mas que agora terá 8 GB de memória RAM (que também será compartilhada com a APU), acima dos 4 GB propostos durante a campanha de financiamento. Ainda, segundo ele, ao contrário de outros consoles, tudo estará disponível e não serão reservados 25% dos recursos de hardware, por exemplo, para uso do sistema.

"Analisamos toda a série de APUs da AMD e, quando você considera o custo e as térmicas, além do desempenho, a família Bristol Ridge ficou no topo. As térmicas são um negócio muito maior em um produto de consumo do que em um PC comum. Sim, no papel, a família Ryzen é tecnicamente melhor, mas sem aumentar o custo e ter uma capacidade térmica maior, uma APU Ryzen nunca funcionaria com desempenho total", diz Rob Wyatt.

"Quando o Ryzen está operando em um ambiente termicamente limitado, seu desempenho é apenas um pouco melhor do que o do Bristol Ridge. Calculamos que qualquer custo adicional seria melhor gasto em mais memória em um layout de margem ideal para maximizar a largura de banda, pois isso beneficia a todos o tempo todo. Uma APU com desempenho limitado mas com desempenho superior adiciona algum desempenho aqui e ali, mas não é um ganho universal."

O sistema operacional baseado em Linux é chamado de "AtariOS"

Como anunciado anteriormente, o Atari VCS irá rodar um sistema operacional customizado baseado no Ubuntu, que está sendo chamado de AtariOS, assim como dará aos jogadores a possibilidade de instalar uma distribuição Linux convencional na máquina, mas que ficará em dual-boot com o AtariOS.

"Nossa arquitetura principal consiste no Atari Secure Hypervisor e em um kernel linux fortemente modificado chamado AtariOS. Tudo isso está na memória flash e, antes que o AtariOS carregue, qualquer dispositivo de armazenamento externo é verificado e, se um dispositivo inicializável for encontrado, o OtherOS nesse dispositivo será carregado", explica Rob Wyatt.

"Nós não temos um carregador de sistema operacional típico como o UBoot ou o GRUB, e como a CPU já está no modo protegido de 64 bits do nosso código de inicialização, o OtherOS precisará da mudança típica de código de inicialização. Essas mudanças são mínimas e forneceremos código de exemplo para mostrar como configurar e inicializar o Ubuntu padrão. O OtherOS está sendo executado sob o Atari Secure Hypervisor, mas o OtherOS tem acesso total a CPU, GPU, memória, áudio, USB, rede, tela e etc, e você pode fazer aplicações de desempenho completo sem restrições."

Como bem lembra Rob Wyatt, embora as mudanças sejam mínimas, a Atari planeja oferecer um código de exemplo para mostrar aos usuários como configurar e inicializar uma distribuição Linux tradicional, como o Ubuntu, no console. Contudo, você não será capaz de acessar ou usar qualquer serviço da empresa fora do AtariOS.

"Enquanto você está no mundo Atari, executando o AtariOS, você está em um mundo seguro. A partir daqui, você pode comprar jogos com credenciais seguras, jogar online sem fazer trapaça, utilizar controles dos pais, fazer stream de mídia em 4K e utilizar todas as outras coisas que você pode fazer em um console de jogos tradicional. Ao executar o OtherOS, nenhum serviço Atari é fornecido, o dispositivo não é mais um dispositivo Atari, é o seu dispositivo, para fazer com ele o que você desejar. Se você deseja retornar ao mundo Atari e usar os serviços Atari, simplesmente reinicie o AtariOS e tudo estará como você o deixou", explicou.

"Cabe a nós tornar o ambiente Atari atrativo o suficiente para que o local natural para o conteúdo seja a Atari VCS Store. Faremos isso com uma fantástica experiência do usuário, boas práticas comerciais, ótimo suporte à publicação, com conteúdo novo e atraente."

Você pode ler a postagem completa de Rob Wyatt no Medium para mais detalhes sobre o console, como o fato dos desenvolvedores de jogos para Linux não precisarem fazer muito para suportar o VCS, e por que vai demorar um pouco até você ver um protótipo de trabalho real.


FONTE: OMG! Ubuntu!

Comentários