Conheça o assistente de IA para astronautas que funciona no Ubuntu


Um dos seis experimentos recentemente lançados na Estação Espacial Internacional como parte da missão Horizons é o CIMON (Crew Interactive Mobile CompaniON), um assistente de IA (inteligência artificial) que roda no Ubuntu criado para aliviar as tensões e compartilhar o trabalho durante voos espaciais de longo prazo. Mas para fazer isso, o projeto teve que ir ousadamente para onde nenhum assistente do tipo foi antes.

O CIMON é um assistente autônomo, alimentado por IA, que pode ver, ouvir, entender e falar com astronautas graças a uma série de câmeras, microfones, sensores e processadores on-board. Doze fans internos dão ao seu corpo, uma bola flutuante de 8kg, mobilidade direcional completa, incluindo a capacidade de acenar ou sacudir a cabeça.

Além disso, o assistente também é controlado por voz , o que significa que os astronautas possuem a liberdade de realizar tarefas e experimentos com as duas mãos, permanecendo totalmente capacitados para acessar, interagir e comandar seu colega cibernético conforme necessário.

A inteligência artificial também é capaz de apresentar e explicar uma série de informações detalhadas, incluindo etapas necessárias nos estágios de um experimento, instruções de reparo, respostas a perguntas, pode executar tarefas rotineiras, como procurar objetos ou documentar os resultados de experimentos que acontecem a bordo da estação. Algo que é particularmente único no CIMON é que ele também foi projetado para desempenhar um papel mais social, por isso o rosto humano animado é exibido em sua tela de 8 polegadas.

O CIMON é executado no Ubuntu

O assistente inteligente, desenvolvido pela Airbus em cooperação com a IBM, está sendo testado pela German Space Administration (DLR) e pela European Space Agency (ESA) a bordo da Estação Espacial Internacional, sob a supervisão do astronauta alemão Dr Alexander Gerst e, como você pode ver em vários pontos do vídeo abaixo, o CIMON é executado no Ubuntu:



Contudo, o Ubuntu não está sozinho, claro. Dados da cloud terrestre também desempenha um grande papel no fortalecimento da inteligência do CIMON. A maior parte do trabalho de IA ocorre na nuvem usando o IBM Watson para o sistema de compreensão de linguagem. Este elo terrestre pode parecer antiquado por comparação, mas tem suas vantagens, permitindo aperfeiçoar ainda mais o assistente a qualquer momento.

O Ubuntu não é nada estranho para quem está a bordo da Estação Espacial Internacional. O sistema operacional da Canonical é usado em uma variedade de tarefas espaciais, desde alimentar laptops a bordo da ISS até controlar rovers de alta tecnologia de volta à Terra.


FONTE: OMG! Ubuntu!

Comentários