Firefox para Linux permitirá que extensões sejam executadas fora do processo principal


Por quase um ano, os usuários do Firefox no Windows vem se beneficiado de extensões que podem ser executadas fora do processo principal do navegador, o que ajuda a melhorar ainda mais a segurança do navegador e a estabilidade geral, o que pode resultar também em um melhor desempenho. Mas agora, finalmente, o recurso deve estar presente também na versão para Linux do navegador.

A novidade foi notada inicialmente pelo site ghacks.net através do Bugzilla, da Mozilla, que indica que o Firefox para Linux virá com o recurso que permite a execução de extensões fora do processo principal habilitado por padrão em todas as builds do Firefox 63, que atualmente está previsto para ser lançado no final de outubro.

Uma vez que o recurso é habilitado, todas as novas WebExtensions (anteriormente conhecidas como “add ons”) que um usuário adicionar ao seu navegador serão executadas em seus próprios processos dedicados, separadas do reste do browser. Isso significa que, se uma extensão da web falhar, não comprometerá o navegador inteiro junto com ela.

A Mozilla dedicou uma tremenda quantidade de esforço e recursos para tornar o Firefox amigável com multi-processo. Os desenvolvedores reformularam o navegador a partir do zero, melhoraram as guias, o núcleo do navegador e os plugins e introduziram um núcleo de renderização mais enxuto e mais rápido, além de uma interface simplificada.

O recurso deve ajudar o Firefox a se tornar ainda mais ágil no Linux, especialmente para aqueles que adoram fazer uso de extensões no navegador.


FONTE: OMG! Ubuntu!

Comentários