A Intel está silenciosamente trabalhando em um novo driver Gallium3D chamado ''Iris''


Depois de resistir ao Gallium3D, arquitetura para construir drivers de gráficos 3D, na década passada, preferindo continuar mantendo apenas seu driver clássico i965, presente no Mesa, e tudo o que investiu em sua pilha de compiladores, parece que os tempos estão mudando conforme a equipe open source da Intel está iniciando o desenvolvimento de um novo e moderno driver Gallium3D.

Isso não deve ser confundido com o antigo esforço com o driver i965g de cerca de uma década atrás, que foi o experimento da LunarG para fins de pesquisa, ou no caso do i915g, que foi criado para lidar com alguns recursos com LLVM em softwares, mas o novo driver Gallium3D é moderno e visa o hardware atual da empresa      e, porque não, a futura placa de vídeo da Intel.

Embora ainda não exita nenhum anúncio formal desse novo driver, uma série de patches na lista de discussão do Mesa, que foram publicados pelo desenvolvedor Jason Ekstrand, da Intel, já faz menção de um dos benefícios, que deve permitir a redução da imagem armazenada para o NIR, algo "que vai tornar a vida de Ken [outro desenvolvedor trabalhando no driver] mais fácil, já que ele tenta conectar as imagens no novo driver Gallium".

O "Ken", mencionado por Jason Ekstrand em sua série de patches, faz referência a Kenneth Graunke, um antigo colaborador do Mesa. A confirmação dada ao site Phoronix, que aparentemente foi o primeiro a notar a novidade, foi feita pelo próprio Kenneth Graunke eu seu repositório pessoal do FreeDesktop.org no Gitlab.

Iris sempre esteve aqui, só você não viu

A princípio, acreditava-se que poderia ser apenas um projeto paralelo pessoal, iniciado recentemente, porém, o histórico de commits mostra que este novo driver Gallium3D está sendo desenvolvido há vários meses. Na verdade, Iris está em ação há oito meses.

Enquanto o Iris Gallium3D está tomando forma, este driver ainda tem mais trabalho pela frente no DRI3 e para lidar com recursos avançados do OpenGL, como compute shaders, o cache de shader no disco, do Mesa, entre outras funcionalidades. Além disso, o principal alvo de suporte parece estar focado na geração de gráficos atual (Gen 9) e não no mais antigo hardware Gen 8, nem os futuros gráficos Gen 10 (Cannonlake) e Gen 11 (Icelake), mas o suporte pode chegar no futuro, obviamente.

Imagem do primeiro teaser oficial da placa de vídeo da Intel.

É muito interessante ver a Intel investir agora em um driver Gallium3D, pois a Vulkan continua decolando e seu driver ANV está em ótima forma. A maturidade do NIR e de vários drivers do Mesa centrados em torno dessa representação intermediária também tornam sua mudança para o Gallium3D mais viável do que há anos atrás. O compilador NIR está sendo usado por Iris, obviamente.

Sim, ter um driver Gallium3D moderno é importante

O uso do Gallium3D deve permitir a utilização do rastreador de estado Gallium "Nine" para obter suporte mais rápido com o Direct3D 9 no Wine, possível suporte de computação via Clover (já que a Intel já possui os projetos Beignet e OpenCL-NEO separados) e mais compartilhamento de código entre os outros drivers Gallium, junto com diferentes possibilidades de rastreador de estado Gallium, como aceleração de vídeo com o VDPAU (novamente, a Intel já tem sua implementação independente de driver, o VA-API).

No que diz respeito ao nome "Iris", a Intel usou-o para marcar seus gráficos mais sofisticados em HD/UHD Graphics. Dada a oportunidade, também não podemos deixar de nos perguntar se essa nova pilha de driver da empresa faz parte de seu planejamento futuro para a eventual geração da sua placa gráfica discreta, prevista para chegar 2020.

Segundo Kenneth Graunke, mais novidades sobre o novo driver Iris serão apresentadas na XDC 2018, no próximo mês. Tempos emocionantes à frente!


FONTE: Phoronix

Comentários