Microsoft se une à Open Invention Network com mais de 60 mil patentes para ''proteger o Linux''


Pegando muita gente de surpresa, a Microsoft anunciou hoje (10) à sua entrada na Open Invention Network (OIN) para "proteger o Linux e o código aberto". Com isso, a empresa de Redmond vai compartilhar 60 mil patentes com outras empresas e desenvolvedores de projetos de código aberto, protegendo especialmente quem trabalha com o Linux de processo judiciais envolvendo propriedade intelectual. Por outro lado, a Microsoft também terá acesso gratuito às centenas de milhares de patentes de outras companhias.

Caso você ainda não tenha ouvido falar na Open Invention Network, saiba que se tara de uma comunidade de membros que vai do Google à IBM e Red Hat, e agora com a Microsoft. Quando se associa à OIN, você concorda em não declarar patentes contra o Linux e softwares de código aberto relacionados, enquanto os membros podem utilizar patentes e licenças OIN livres de royalties.

"Sabemos que a decisão da Microsoft de ingressar na OIN pode ser vista como surpreendente para alguns; Não é nenhum segredo que houve atrito no passado entre a Microsoft e a comunidade de código aberto sobre a questão das patentes. Para outros que acompanharam nossa evolução, esperamos que este anúncio seja visto como o próximo passo lógico para uma empresa que esteja ouvindo clientes e desenvolvedores e esteja firmemente comprometida com o Linux e outros programas de código aberto", diz Erich Andersen, chefe do departamento de PI da Microsoft.

Embora alguns vejam tais ações da empresa em favor do Linux como algo preocupante, não podemos negar que a Microsoft há muito tempo já não é mais a “principal inimiga do Linux, tornando-se uma de das principais companhias aliadas. Mais de 2,5 mil funcionários da companhia estão no GitHub e compartilham constantemente projetos de código aberto com a comunidade.

Além disso, a empresa de Bill Gates também é um membro Platinum da Linux Foundation, o que garante à companhia um assento no concelho de administração da fundação, onde também estão presente as empresas Cisco, Fujitsu, HP Enterprise, Huawei, IBM, Intel, NEC, Oracle, Qualcomm e Samsung.

"Agora, ao nos unirmos à OIN, acreditamos que a Microsoft poderá fazer mais do que nunca ajudar a proteger o Linux e outros trabalhos de código aberto importantes das afirmações de patentes. Nós trazemos um portfólio valioso e profundo de mais de 60.000 patentes emitidas para OIN", diz Erich Andersen. "Também esperamos que nossa decisão de participar atraia muitas outras empresas para a OIN, tornando a rede de licenças ainda mais forte para o benefício da comunidade de código aberto."


FONTE: Phoronix | Microsoft

Comentários