Driver ''Iris'' da Intel continua avançando no suporte ao OpenGL para futuras GPUs


Embora não tenhamos tido muito o que falar sobre o "Iris", driver Gallium3D da Intel em desenvolvimento, como o futuro driver Mesa para o OpenGL para os mais recentes hardwares gráficos da empresa, ele continuou progredindo muito bem desde a sua primeira aparição formal em setembro. Trata-se do novo projeto do Intel Open-Source Technology Center, como um esforço para reformular o suporte ao OpenGL e um dia provavelmente substituirá o atual driver "i965" do Mesa.

Nos últimos dois meses, os desenvolvedores da Intel implementaram diversas pequenas alterações no Iris, mas sem grandes anúncios nessa frente. Com o atual ritmo que os trabalhos estão sendo realizados, espera-se que em 2019 o driver já possa se igualar com o atual driver OpenGL clássico.

Entre os recursos que foram adicionados nos últimos dois meses, está o suporte para renderização condicional, um sistema de número de seqüência de rastreamento, a adição das extensões ARB_shader_stencil_export e ARB_enhanced_layouts, correções para o suporte ao DRI3, bem como suporte inicial para manipulação de shaders de computação GL, entre outras alterações.

Todo o progresso realizado no novo driver da Intel pode ser conferido através de seu repositório de desenvolvimento, mas que ainda não possui o seu código pronto para o mainline do Mesa.

Quando comparado com o atual i965 presente no Mesa, o driver Iris promete ser mais rápido, ter melhor compartilhamento com a infraestrutura Gallium3D, uma base de código mais moderna projetada apenas para as soluções mais recentes de gráficos da Intel e também abre outras novas possibilidades, como o uso do Gallium "Nine" para entregar um melhor desempenho com jogos do Windows que fazem uso do Direct3D 9 ao serem executados no Wine.

Uma vez que o novo driver Gallium3D estiver com o seu desenvolvimento mais avançado, certamente será interessante ver como ele se compara ao driver i965 clássico, bem como com alternativas mais recentes.

Mas por ora, o Iris ainda não está pronto para lidar com os jogos atuais do Linux, mas estará bastante maduro quando a Intel começar a distribuir placas gráficas discretas em 2020      supondo que elas estenderão a atual pilha de drivers para Linux. Tempos empolgantes à frente de qualquer maneira para GPUs e drivers no Linux.


FONTE: Phoronix

Comentários