Drivers open source da AMD para Linux ainda não estão prontos para a Radeon RX 590


Embora a Radeon RX 590, lançada esta semana, seja apenas mais uma atualização das placas Polaris, a pilha de drivers de vídeo open source para Linux ainda não está funcionando bem com a nova GPU. Isso é uma surpresa, considerando que o PCI ID foi adicionado meses atrás e já faz algum tempo que o suporte para GPUs Polaris no sistema do pinguim está bem maduro.

Os problemas foram constatados pelo site Phoronix, que recentemente adquiriu uma Sapphire Radeon Nitro+ RX 590 de 8GB GDDR5 para realizar alguns benchmarks e mostrar como a placa de vídeo se comporta no Linux, além de, é claro, comparar o seu desempenho com modelos anteriores.

"Isso [o suporte ruim com os drivers open source no Linux] também pode explicar por que fiquei completamente no escuro para este lançamento, além dos vazamentos óbvios, mas sem amostras de revisão, nem mesmo qualquer convite para a imprensa, e é por isso que acabei comprando a GPU no dia do lançamento", disse Michael Larabel, do Phoronix.

Para realizar os testes, foi utilizado o Ubuntu 18.10 com o kernel Linux estável de versão 4.19.2 e a pilha gráfica Mesa 19.0-devel emparelhado com os mais recente microcode AMDGPU. O resultado foi que a exibição ficou presa na resolução 800x600, com a aceleração baseada em CPU usando o LLVMpipe.

Ao conferir os logs do kernel, Michael Larabel encontrou um problema referente ao código UVD, que acaba causando uma falha de inicialização do dispositivo, que é tratada como um erro fatal. Há também uma falha relatada sobre a leitura do clock mínimo da GPU.


Mesmo usando o Linux Kernel 4.20, que atualmente está em desenvolvimento e disponível através de versões Release Candidate, o problema persiste com a falha impedindo que a GPU possa inicializar corretamente. Isso também é surpreendente, já que o kernel pode chegar no final do ano sem suporte operacional para essa atualização da Polaris.

A história se repetiu com o AMDGPU DRM-Next 4.21-WIP, que está atualmente em desenvolvimento e não será implementado no ramo principal do kernel Linux até o ciclo 4.21 ser iniciado.

Espera-se que a solução chegue logo e que acabe sendo trivial o suficiente para que possa ser rapidamente implementada na série estável atual do kernel Linux, para que os usuários não tenham que esperar até o final do ano ou, até mesmo, meados de janeiro de 2019 para conseguir usar corretamente a Radeon RX 590 e suas distribuições Linux favoritas.


FONTE: Phoronix

Comentários