Engenheiro da Microsoft cutuca a Mozilla no Twitter afirmando que o Firefox deveria usar o Chromium


Segundo o gerente de produtos da Microsoft, Kenneth Auchenberg, a Mozilla deve desistir de sua própria engine de navegação, chamada de Gecko, e mudar o Firefox para o Chromium (a base do Chrome), pois o que a empresa faz agora, de acordo com o engenheiro, é "construir um universo paralelo que seja usado por menos de 5%" do mercado de navegadores de internet.

A mensagem postada por Kenneth Auchenberg em seu perfil oficial no Twitter provocou uma reação quase que instantânea da comunidade de usuários do Firefox, com a maioria das respostas apontando que construir produtos alternativos que podem competir com o Chromium é vital para a saúde do ecossistema de navegação e da web.

"É hora da Mozilla descer de sua torre filosófica de marfim. A web é dominada pelo Chromium, se eles realmente se *importassem* com a web eles estariam contribuindo ao invés de construir um universo paralelo que fosse usado por menos de 5%?", disse Kenneth Auchenberg.

O desenvolvedor web Jeremy Keith, em resposta ao engenheiro da Microsoft, disse o seguinte: "Eu não pude discordar mais de você. É precisamente *porque* o Chromium tem uma fatia de mercado tão grande que é vital para a Mozilla (ou qualquer outra pessoa) lutar pela diversidade. Estou chocado por você achar que eles [a Mozilla] não estão contribuindo. “Construindo um universo paralelo”? Essa *é* a contribuição."

Contudo, ainda não satisfeito com a resposta do desenvolvedor web, Kenneth Auchenberg insistiu que a Mozilla pode contribuir para a construção de uma web melhor juntando-se ao projeto Chromium, e não insistindo com a sua própria engine.

“A contribuição pode acontecer em muitos níveis, e por que é que cada fornecedor de browser precisa colocar suas contribuições em *sua própria* engine? Qual não é a questão que impulsiona o maior impacto para a web como uma plataforma holística?”, afirmou Kenneth Auchenberg. “Meu problema com a abordagem atual da Mozilla é que eles estão pregando sua própria tecnologia em vez de se perguntarem como podem contribuir mais e produzir mais impacto para a web? Entregar valor a 65% do mercado ou inferior a 5%?”

A Microsoft está mudando para o Chromium

Toda essa discussão tem seu motivo. Acontece que a Microsoft anunciou recentemente que está desistindo de sua própria engine para criar um novo Microsoft Edge, o navegador padrão do Windows 10, baseado no Chromium, que também é usado pelo Google Chrome, Opera, Vivaldi e outros navegadores.

Em uma postagem publicada no início de dezembro do ano passado, a Mozilla enfatizou que ao abraçar o Chromium como o navegador padrão do Windows 10, “a Microsoft passa ainda mais o controle da vida online para a Google”. Reiterando também que o Firefox continuará sendo uma alternativa ao Google Chrome, a Mozilla alertou que colocar a Google no controle do mundo da navegação não é o caminho certo a seguir.

“Nós competimos com a Google não porque é uma boa oportunidade de negócio. Competimos com a Google porque a saúde da internet e da vida online dependem da concorrência e da escolha”, disse a Mozilla.

A mensagem do funcionário da Microsoft, obviamente, recebeu mais respostas ácidas, incluindo essa que critica as recentes mudanças no navegador da Microsoft: "Só porque o seu empregador desistiu de seu próprio pessoal e tecnologia não significa que os outros devam seguir [o mesmo caminho]", disse Asa Dotzler, da Mozilla.

Toda essa discussão completa pode ser encontrado clicando aqui, e vale muito a pena ler, já que inclui as opiniões de vários desenvolvedores web respeitados.


FONTE: Softpedia

Comentários