Usando o G-SYNC com monitores FreeSync e Adaptive Sync no Linux


Durante a CES 2019, a NVIDIA pegou muitos de surpresa ao anunciar que passaria a dar suporte para o padrão Adaptive Sync a partir das GPUs Pascal e mais recente com atualizações de drivers futuras. A boa notícia agora é que a novidade já está disponível na plataforma Linux com a mais recente versão beta do driver de vídeo da empresa para o sistema do pinguim.

A NVIDIA há muito tempo suporta monitores com G-SYNC no Linux, mas com o lançamento do driver 418.30 Beta existe o suporte para o "G-SYNC Compatible", também conhecido como o novo suporte FreeSync. Para aqueles que ainda não conhecem, essa tecnologia de taxa de atualização dinâmica é projetada para reduzir o o screen tearing (rasgo de tela) nos jogos.

É importante lembrar também que o G-SYNC Compatible só funciona quando conectado via DisplayPort e não há suporte para HDMI atualmente (uma limitação similar ao suporte do AMD FreeSync no Linux).

Este driver inicial possui a mesma lista branca de monitores suportados que o Windows, mas outros monitores Adaptive Sync/FreeSync também podem ser ativados manualmente. Para isso, vá até o painel de configurações da NVIDIA e, na sessão "X Server Display Configuration", selecione a opção "Allow G-SYNC on monitor not validated as G-SYNC Compatible", como mostra a imagem logo abaixo.


A partir daí, você pode aplicar a alteração enquanto o restante das opções relacionadas com o G-SYNC pode ser encontradas na sessão de configurações do OpenGL, onde é possível habilitar o G-SYNC/G-SYNC Compatible para jogos e aplicativos que fazem uso do OpenGL, bem como ativar um indicador visual para mostrar no monitor quando o recuro está ativo.


Com o indicador visual, no canto superior direito da tela está o texto "G-SYNC" quando está funcionando, enquanto o restante do tempo indica a renderização "Normal".


É bom saber que esta funcionalidade G-SYNC Compatible possa ser facilmente ativada a partir do painel de configurações da NVIDIA. O que é muito diferente do suporte inicial de código aberto do AMD FreeSync, que requer a execução de comandos xrandr do terminal, sendo menos amigável para usuários iniciante no mundo Linux.

Mais detalhes sobre o novo driver NVIDIA 418.30 Beta para Linux pode ser encontrado no site oficial do desenvolvedor.


FONTE: Phoronix

Comentários