Stadia é o novo serviço de streaming de jogos da Google; faz uso do Linux e Vulkan


Durante seu evento na Game Developers Conference (GDC) 2019, a Google finalmente revelou o Stadia, sua nova plataforma de streaming de games, que promete deixar os jogadores jogarem praticamente em qualquer lugar que quiserem. Não há console para conectar à sua TV. Em vez disso, os jogos são executados a partir de um data centers e são transmitidos para você pela Internet. Os títulos podem rodar em até 4K a 60 FPS, obviamente, dependendo da sua conexão, e inclui também suporte para HDR.

De acordo com a Google, os jogadores poderão usar mouse, teclado ou qualquer outro periférico existente como, por exemplo, o controle do Xbox One, incluindo suporte para conexão via cabo USB ou Bluetooth. Ainda assim, a empresa decidiu lançar também seu próprio "Stadia Controller", que promete entregar maior integração com a plataforma para os usuários.


Diferente dos controles tradicionais, o Stadia Controller se conecta diretamente ao game na nuvem via Wi-Fi. Segundo a empresa, essa abordagem diminui a diferença de tempo entre o comando dado pelo jogador e recebido pelo jogo, diminuindo consideravelmente o lag, um dos principais problemas presentes nas plataformas de streaming de games disponíveis atualmente.

Outra novidade é que o controle conta com um botão do Google Assistant, o que permite realizar pesquisas por voz durante o gameplay. Além disso, o mais interessante é que, caso o jogador fique preso em algum momento do jogo, por exemplo, a funcionalidade permite buscar um auxílio rapidamente na internet. Há também um botão voltado para compartilhamento de conteúdo no YouTube ou para simplesmente capturar imagens da jogatina.

Stadia faz uso de GPU AMD, Linux e Vulkan

A Google também revelou que fez uma parceria com a AMD para desenvolver uma GPU personalizada para seus data centers. Isso é uma boa notícia e deve fortalecer ainda mais a pilha de drivers open source para GPUs Radeon na plataforma Linux. O hardware do Stadia também conta com processadores personalizados de 2,7 GHz e 16 GB de RAM por instância.


Falando em Linux, o primeiro serviço de jogos nativo em nuvem do mundo também faz uso do sistema do pinguim. A Google está usando uma pilha de software de código aberto para impulsionar o Stadia, como explica em um postagem introdutória da plataforma:

"O Google acredita que o open source é bom para todos. Permite e incentiva a colaboração e o desenvolvimento de tecnologia, resolvendo problemas do mundo real. Isto é especialmente verdade no Stadia, pois acreditamos que a comunidade de desenvolvimento de jogos tem uma forte história de colaboração, inovação e ganhos compartilhados, à medida que as técnicas e a tecnologia melhoram continuamente. Estamos investindo em tecnologia de código aberto para criar a melhor plataforma para desenvolvedores, em parceria com as pessoas que a usam."

Isso é mais do que apenas da boca para fora. A empresa também detalha como e o que está usando:

"Isso começa com a plataforma Linux e Vulkan desde a criação e é mostrado em nossa seleção de GPUs que possuem drivers e ferramentas de código aberto. Estamos integrando o LLVM e o DirectX Shader Compiler para garantir que você obtenha ótimos recursos e desempenho de nossos compiladores e depuradores. Ferramentas gráficas de última geração são essenciais para os desenvolvedores de jogos, e estamos empolgados para aproveitar e contribuir com o RenderDoc, GAPID e Radeon GPU Profiler — as melhores ferramentas de depuração e criação de perfis de código aberto que estão melhorando continuamente."

Embora isso não implique necessariamente que um jogo feito para o Stadia seja disponibilizado no Linux através de uma loja como o Steam, desde que não seja um exclusivo do serviço de streaming de games, a possibilidade existe. Afinal, se os desenvolvedores já se empenharam em apoiar a plataforma de jogos da Google (que faz uso do Linux e Vulkan), por que não, certo?

A meta de lançamento da Google para acesso público ao serviço de streaming de jogos Stadia é simplesmente "2019". O site oficial do Stadia também oferece mais informações, incluindo um formulário de inscrição, onde você pode se registrar para receber ainda mais detalhes sobre a plataforma no futuro.


FONTE: OMG! Ubuntu!

Comentários