Segundo desenvolvedor do Wine, o DXVK é um ''beco sem saída''


No início do ano, foi revelado que os desenvolvedores do Wine tinham começado a trabalhar em um novo back-end Vulkan para o WineD3D (semelhante, por exemplo, ao DXVK e D9VK) como uma alternativa à sua abordagem de longo prazo de rodar o Direct3D sobre o OpenGL. Embora o código inicial tenha acabado de ser publicado, parece que os seus criadores já estão bem otimistas.

Quando foi divulgado o plano de implementar no WineD3D uma solução própria para usar a Vulkan, muitos questionaram o porquê de não usar o DXVK e as razões por trás disso. Acontece que, enquanto os desenvolvedores do Wine estão começando a dar os primeiros passos em direção a um beck-end Vulkan, o DXVK já é capaz de rodar diversos jogos que fazem uso do Direct3D 10/11.

Recentemente, respondendo a um usuário em uma lista de discussões do Wine que questionou se é possível copilar a versão mais recente do Wine com os patches da implementação Persistent Buffer Allocator (PBA) para fins de comparação de desempenho com o DXVK ao executar determinados jogos, Henri Verbeet, principal desenvolvedor do WineD3D e funcionário da CodeWeavers disse:

"Se você está interessado em fazer um trabalho de performance, eu diria que seria mais interessante tentar fechar a lacuna para aqueles casos onde o DXVK é atualmente mais rápido que o wined3d. É ótimo que o DXVK esteja funcionando tão bem para algumas pessoas, mas também é um beco sem saída."

Ainda, segundo ele, "a versão curta é que o próprio back-end Vulkan para o D3D do Wine deve tornar o DXVK dispensável a longo prazo". Isso mostra o quanto a equipe por traz do Wine está bem otimista com sua implementação própria.

Por enquanto, a Valve parece continuar investindo no DXVK, sem sinais de que está se desfazendo da implementação no futuro previsível, considerando o quanto o projeto está hoje funcionando bem com muitos jogos e oferecendo um desempenho muito melhor daquele que é proporcionado apenas com o Wine.

Vala lembrar também que os desenvolvedores do Wine começaram há algum tempo trabalhar em back-end Vulkan para lidar com o Direct3D 12, chamado VKD3D, que por sinal ainda está longe de ser tão funcional como o DXVK para rodar jogos, porém, títulos desenvolvidos com o D3D12. E o mesmo acontece no que se refere a funcionalidades.


FONTE: Phoronix
Tags :
Comentários