Dev do DXVK, Philip Rebohle, também está contribuindo com melhorias para o VKD3D


Com o DXVK já entregando bons resultados com o Steam Play (Proton) e Wine ao executar jogos desenvolvidos com o Direct3D 10/11 sobre a Vulkan no Linux, Philip Rebohle, que iniciou esse projeto, sendo posteriormente financiado pela Valve, agora está contribuindo com mais melhorias para a iniciativa VKD3D do Wine para mapear o Direct3D 12 sobre a Vulkan.

Na semana passada, houve um grande aumento nas atividades do desenvolvedor com o VKD3D, com um total de 17 mudanças sendo preparadas por ele para o projeto, mas com 10 destas alterações sendo entregues mais recentemente.

Philip deixou suas intenções mais claras no início desta semana na lista de discussões dos desenvolvedores do Wine, afirmando que seu objetivo atualmente é de fazer com que o renderizador D3D12 de Deus Ex: Mankind Divided trabalhe no VKD3D. Mas, para que isso aconteça, existem algumas mudanças que precisam ser feitas, especialmente com a forma de como o VKD3D lida shaders personalizados.

Para integrar shaders no VKD3D, a ideia do desenvolvedor é de compilar os shaders GLSL no momento da construção em um cabeçalho C contendo a representação SPIR-V e, em seguida, referenciada pelo próprio código do VKD3D. Isso introduziria uma nova dependência do glslangValidator para o processo de conversão ou outras alternativas, como o shaderc.

O desenvolvedor Henri Verbeet, da CodeWeavers, até expressou sua preferência em escrever os shaders com HLSL (High Level Shading Language) e depois usar outras ferramentas existentes para convertê-los, em vez de introduzir uma nova dependência no tempo de compilação, mas isso pode ter problemas, e Philip prefere evitar usar este método.

Ainda está sendo decidida a questão de como lidar melhor com os shaders no VKD3D, mas a boa notícia é que Philip Rebohle agora está trabalhando não apenas no DXVK, mas também no VKD3D, o que será muito para o Steam Play e Wine.

Obter o renderizador D3D12 opcional de Deus Ex: Mankind Divided trabalhando no VKD3D também seria interessante, pois permitiria comparar o desempenho do D3D11 com o DXVK. Além disso, há um port para Linux do game feito pela Feral Interactive que, por sua vez, faz uso do OpenGL, o que deixa o título muito lento no sistema do pinguim.


FONTE: Phoronix
Tags :
Comentários