Embora as modificações do kernel seja apenas uma parte das otimizações implementadas no Clear Linux, da Intel, para garantir um melhor desempenho, um usuário do Fedora, chamado de Manas Mangaonkar, tomou a liberdade de preparar uma build do kernel do Fedora com base nas configuração do kernel da distribuição Linux da Intel.

Depois de ser decidido no início do ano, quando começou o desenvolvimento do próximo Lubuntu 18.10, que as instalações de 32 bits não serão mais suportadas, o desenvolvedor do projeto Simon Quigley anúncio que agora quer dar uma chance e apoiar os usuários que ainda fazem uso de sistemas de 32 bits, isto é, se ainda houver uma boa demanda da comunidade.

Foi lançada na última segunda-feira (16) mais uma nova versão do driver de vídeo da NVIDIA para Linux, a 390.77, que apesar de não ser um grande lançamento, oferece melhor compatibilidade com as versões mais recentes do Linux Kernel. No entanto, a NVIDIA ainda não mencionou se agora é possível compilar e usar o driver com a próxima série do kernel Linux, a 4.18, ainda em desenvolvimento, ou apenas com o Linux Kernel 4.17.

A Canonical recentemente reformulou a Snap Store, que como o seu próprio nome sugere, é a loja online de aplicativos no formato Snap, que agora conta com uma interface mais moderna e com recursos que devem ajudar os usuários a encontrar novos aplicativos mais rapidamente, seja por meio da caixa de busca ou pelas categorias de apps.

No final do mês passado, a Atari anunciou que Rob Wyatt, o arquiteto de sistema do console Xbox original e um dos designer de arquitetura gráfica para o Playstation 3, entrou oficialmente para a equipe do o Atari VCS. Agora, o cérebro por traz do sistema do primeiro videogame da Microsoft respondeu algumas das dúvidas mais comuns entre os jogadores em um post de perguntas e respostas, onde ele revela alguns dos planos da empresa, bem como mais informações sobre o hardware e funcionamento do console.

Agora o Wine pode fazer uso da API gráfica Vulkan no macOS por meio do MoltenVK, graças ao desenvolvedor Andrew Eikum, da CodeWeavers. A novidade deve permitir que os jogos do Windows tenho melhor desempenho com a Vulkan do que com o OpenGL, como já acontece no Linux, no sistema operacional da Apple, além de possibilitar, é claro, o uso do DXVK.

Com o próximo lançamento do Linux Kernel 4.18, que deve acontecer em agosto, já estará garantido o suporte ao driver de kernel AMDGPU para a GPU Vega 20, o próximo chip gráfico da AMD com microarquitetura Vega que será lançado no final deste ano e que contará com 32 GB de memória HBM2, além de contar com algumas novas instruções de deep learning. Agora, o driver de espaço do usuário RadeonSI Gallium3D para o OpenGL presente na pilha de gráficos Mesa possui suporte para a Vega 20.

Um dos seis experimentos recentemente lançados na Estação Espacial Internacional como parte da missão Horizons é o CIMON (Crew Interactive Mobile CompaniON), um assistente de IA (inteligência artificial) que roda no Ubuntu criado para aliviar as tensões e compartilhar o trabalho durante voos espaciais de longo prazo. Mas para fazer isso, o projeto teve que ir ousadamente para onde nenhum assistente do tipo foi antes.

O esforço da Google para expandir a compatibilidade de aplicativos do Linux com o Chromebook continua em ritmo acelerado e, apesar da empresa ter mostrado interesse em restringir o Crostini (codinome do recurso que permite rodar apps do Linux no Chrome OS) a rodar nos Chromebooks mais sofisticados, como o Google Pixelbook e Samsung Chromebook Plus, foi lançado recentemente o suporte experimental para a novidade em mais 18 modelos Chromebooks.

Você já se perguntou o quão é utilizado o Ubuntu? Para responder essa pergunta, a Canonical criou um novo infográfico para destacar a escala e o sucesso que o seu sistema operacional alcançou em uma variedade invejável de setores de computação. A última vez que a empresa fez algo do tipo, foi após o lançamento do Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus), ou seja, há mais de dois anos.

Recentemente, publicamos um artigo onde relatamos que um estúdio de jogos indie teve um de seus games para iOS rejeitado pela Apple por causa do uso do MoltenVK, que dependia de uma "non-public API". Agora, uma nova solicitação de implementação de novos patches foi anunciada para o MoltenVK, que pode ajudar a resolver o problema que impediu a entrada do game na App Store.

A Canonical anunciou na última segunda-feira (09) o novo sistema operacional Minimal Ubuntu, que além de contar com uma quantidade mínima de pacotes, foi projetado e otimizado para uso automatizado pelas massas em clouds públicas e Docker Hub, prometendo oferecer aos usuários segurança de ponta, excelente desempenho, estabilidade e confiabilidade em todos os momentos.

Se você anda acompanhando as últimas notícias do mundo Linux, já deve ter ouvido falar no MoltenVK, uma implementação da API de gráficos e computação Vulkan para macOS e iOS como uma resposta a decisão da Apple de não suportar a Vulkan em seus sistema operacionais. Entre os seus adeptos mais notáveis, está a Valve com Dota 2 no Mac, mas para quem deseja usar esse framework "Vulkan-to-Metal", parece que a Apple pode estar rejeitando a entrada no iOS de apps que tragam a solução.

No mês passado, em 20 de junho, a Canonical lançou uma atualização de firmware de microcódigo para processadores da AMD em todas as versões do Ubuntu suportadas para corrigir a conhecida vulnerabilidade Specter, descoberta por Jann Horn do Google Project Zero, que pode permitir que invasores locais exponham informações sensíveis, incluindo a memória do kernel.

Foi lançado recentemente o GIMP 2.10.4, que agora conta com inicialização mais rápida graças a mudanças no carregamento de fontes assíncronas. Isso basicamente significa que o editor não precisa mais esperar que todas as fontes sejam totalmente carregadas, algo que possibilita também um fluxo de trabalho mais rápido, pois você pode começar a editar imagens imediatamente usando ferramentas e efeitos que não sejam de texto.

Lançado em 19 de outubro de 2017, o Ubuntu 17.10 foi apelidado de "Artful Aardvark" por Mark Shuttleworth, fundador da Canonical, e foi a primeira versão do sistema operacional que oferecia o ambiente gráfico GNOME como o padrão depois de usar a interface Unity por mais de seis anos, desde o lançamento do Ubuntu 11.04 (Natty Narwhal).