A segunda versão beta do Elementary OS 5.0 "June" agora está oficialmente disponível para download. Este segundo beta do sistema operacional baseado no Ubuntu apresenta uma série de mudanças em relação ao primeiro lançamento em julho. Por conta disso, os desenvolvedores recomendam que aqueles que planejam testar o lançamento que façam uma nova instalação em vez de fazer um upgrade do Beta 1 ou (pior) de uma versão mais antiga.

O pessoal por traz RPCS3 publicou no blog oficial do projeto mais detalhes sobre o grande progresso feito pela equipe no emulador de PlayStation 3. Em primeiro lugar, os desenvolvedores destacam que agora mais de mil títulos são totalmente jogáveis, o que é um marco muito importante para o projeto. Quando olhamos para trás, em janeiro deste ano, apenas cerca de 700 títulos faziam parte dessa lista.

Totalmente gratuito para jogar, The Misfits é um jogo de tiro em terceira pessoa da desenvolvedora PigDogGames disponível atualmente em Early Access com versão também para a plataforma Linux, mas que ainda está escondida no Steam. Por conta disso, são exibidos apenas os ícones dos sistema operacionais Windows e macOS, porém, os jogadores Linux também podem curtir o game.

As placas de vídeo NVIDIA GeForce RTX 2080 só estão oficialmente sendo lançadas hoje, mas pelo menos um desenvolvedor independente do Nouveau está com o novo hardware em mãos e já está começando a trabalhar no processo de engenharia reversa para eventualmente obter suporte para as GPUs Turing com o driver open source.

Com a chegada do Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver) como o primeiro lançamento do Ubuntu LTS (Long Term Support) a ser fornecido com o ambiente gráfico GNOME por padrão, em vez do Unity 7 desenvolvido internamente pela Canonical, os usuários com laptops híbridos com GPUs Intel e NVIDIA perderam o modo como o NVIDIA PRIME trabalhou na série Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus).

A Canonical anunciou na última quarta-feira (19) que será estendida a sua oferta comercial de Extended Security Maintenance (ESM) para o Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr) a partir de maio de 2019, isso depois de quase cinco anos desde o lançamento do sistema operacional. A notícia pode agradar aqueles que não querem ou não podem atualizar para uma versão mais recente da série LTS (com suporte de longo prazo), como o Ubuntu 18.04 LTS, e que estão dispostos a pagar por atualizações de segurança.

Levando em conta o lançamento das GPUs Turing, ainda não era certo se a NVIDIA forneceria o suporte para a Vulkan no mesmo dia para o RTX/ray-tracing com as placas de vídeo GeForce RTX ou se a novidade, por enquanto, estaria disponível apenas para o Direct3D 12 no Windows. Felizmente, como já foi relatado, o novo driver da empresa tem suporte ao Vulkan RTX. Além disso, a extensão VK_NVX_raytracing e outras atualizações da NVIDIA estão fazendo parte da nova versão da Vulkan, a 1.1.85.

Se você está curioso para saber como anda a performance das placas de vídeo NVIDIA da série 20 na plataforma Linux, separamos para você alguns testes de benchmark da GeForce RTX 2080 Ti Founders Edition, que possui clock (turbo) de 1635MHz, 4352 núcleos CUDA e 11 GB de VRAM GDDR6, resultando em uma capacidade de 616 GB/s de largura de banda de memória.

A NVIDIA anunciou nesta quarta-feira (19) uma nova versão beta, a 410.57, do seu driver de vídeo para a plataforma Linux, que chega trazendo suporte para as recém anunciadas GeForce RTX 2080 e GeForce RTX 2080 Ti. O novo driver certamente é mais interessante para os proprietários de GPUs Volta e Turing, mas também há algumas atualizações para EGL e Vulkan, além de outras novidades.

Escrevendo em seu blog pessoal, Jason Ekstrand, membro da equipe responsável pelos drivers da Intel para a pilha gráfica Mesa, revelou algumas informações sobre o que está sendo feito para melhorar os drivers da empresa no Linux. O que foi relatado pelo desenvolvedor não é exatamente novo para aqueles que acompanham o Mesa de perto, mas é bom obter algumas informações sobre como a equipe se deparou com os problemas e o que foi feito para resolvê-los.

Agora ficou mais fácil rodar o Ubuntu no Windows 10 como uma máquina virtual — e tudo graças à Microsoft. Isso porque os usuários do Windows 10 Pro agora podem criar uma máquina virtual aprimorada do sistema operacional da Canonical diretamente da ferramenta Hyper-V Quick Create com menos etapas de pós-instalação necessárias para torná-lo utilizável, algo que antes era um tanto problemático de se fazer.

Inicialmente, o Mir 1.0 estava programado para lançamento no ano passado, mas, no último minuto, foi revertido para Mir 0.28. Mas agora existe um patch pendente, criado pelo desenvolvedor Alan Griffiths, da Canonical, que está mais uma vez tentando lançar a versão 1.0, que deve trazer como um dos seus principais recursos o suporte para o Wayland dentro do próprio Mir.

A versão mais recente do reprodutor multimídia SMPlayer permite transmitir vídeos do PC para o seu dispositivo Android - tudo com um único clique! Isso basicamente significa que você pode assistir a vídeos no seu computador a partir da tela do seu smartphone ou tablet com o sistema operacional do simpático robozinho verde com o mínimo de esforço, já que não é necessário fazer o upload, download ou assinaturas.

O criador do Flatpak e líder do desenvolvimento do famoso formato universal, Alexander Larsson, da Red Hat, conseguiu fazer com que aplicativos Flatpak fossem capaz de ser executados no Windows 10. Contudo, antes que você fique muito animado, é importante ressaltar desde o início que o suporte para o formato requer o Windows Subsystem for Linux (instalando o "Ubuntu Bash for Windows", por exemplo), assim como a necessidade de instalar um servidor Win32 X11 Server.

Em junho, a Valve anunciou a "Moondust", sua nova demo técnica de VR para mostrar seus esforços de hardware (principalmente com os controles para a realidade virtual Knuckles EV2) e que consiste também de alguns mini-jogos. Agora, a empresa resolveu criar um repositório do GitHub para a Moondust, onde o código da demo pode estar em breve disponível de forma open source.

A última sexta-feira (14) foi muito movimentada para a equipe de desenvolvedores open source da AMD que, além de lançar novas versões dos drivers xf86-video-amdgpu e xf86-video-ati, que chegaram a versão 18.1, e o ROCm 1.9, seu último conjunto de mudanças de recursos também foi submetido para implementação no Linux Kernel 4.20 (ou 5.0). Esta certamente será outra versão do kernel interessante para os usuários Linux que possuem placas Radeon.