Foi lançado no último domingo (15) o Linux Kernel 5.3, que chega trazendo diversas melhorias e correções, bem como novos recursos, como é o caso do suporte para as placas de vídeo AMD da série Radeon RX 5700 (Navi) no driver de kernel AMDGPU e suporte para teclado e touchpad de alguns MacBooks e MacBook Pros da era de 2015, cortesia das atualizações do driver Apple SPI.

Atualmente, os drivers OpenGL e Vulkan presentes na pilha gráfica Mesa contam com nomes de executáveis ​​correspondentes de programas e jogos para poder aplicar soluções alternativas específicas para cada software. Porém, com a Vulkan como parte das informações de criação da instância e com o VkApplicationInfo, é possível anunciar opcionalmente a engine de renderização e a versão em uso, o que pode permitir o uso de soluções mais uniformes.

Foi lançado recentemente o GNOME 3.34, que chega trazendo vários novos recursos e melhorias. O ambiente gráfico esteve em desenvolvimento nos últimos seis meses e é um substituto para a série 3.32.x. A maior mudança está na velocidade, com o desenvolvedores afirmando que foram capazes de “melhorar drasticamente a capacidade de resposta e a consistência da área de trabalho”, mesmo em hardware mais lento ou mais antigo — o que é bem impressionante.

Os desenvolvedores da AMD trabalhando na plataforma Linux estão finalmente tentando reativar a funcionalidade de "movimentação em massa" para o algoritmo de cache LRU (Least Recently Used) no driver gráfico do kernel AMDGPU. A primeira versão dos patches com a mudança foi publicada em agosto de 2018 e deveria chegar com o Linux Kernel 5.0, mas o recuso teve que ser desativado por conta de erros.

Meses se passaram desde então e, aparentemente, todos os erros da funcionalidade, que tem a capacidade de ajudar a melhorar o desempenho do OpenCL e da Vulkan para os gráficos Radeon, foram resolvidos no Linux Kernel 5.1. Agora, a versão 5.3 do kernel está sendo lançada neste final de semana, seguido pelo ciclo de desenvolvimento do Linux Kernel 5.4, onde, finalmente, os desenvolvedores da AMD estão falando em reativar esse recurso que permite migrar objetos de buffer PD/PT para a lista LRU em uma única operação em massa.

Aparentemente, o driver AMD Radeon Software for Linux está carregando esse recurso ativado como parte do driver do kernel DKMS empacotado. Dado o tempo desse patch, embora pequeno, não significa necessariamente que ele chegará ao próximo Linux Kernel 5.4. A menos que seja promovido como uma "correção", o prazo para adicionar novos recursos no DRM-Next para Linux Kernel 5.4 acabou há algumas semanas.

Vamos esperar para ver como os desenvolvedores vão resolver isso, se o recurso será habilitado no próximo Linux Kernel 5.4, com o patch sendo implementado como uma correção, ou se teremos que esperar até o lançamento do Linux Kernel 5.5.


FONTE: Phoronix

Já faz algum tempo que os desenvolvedores da Intel que contribuem com códigos para o kernel Linux vem trabalhando no suporte para a instrução FSGSBASE, o que deve ajudar no desempenho dos processadores da empresa. A mudança deveria estar presente no Linux Kernel 5.3, mas foi revertida devido a "erros sérios" na implementação. Agora, a Intel publicou uma versão revisada desse suporte.

Lançada há mais de um ano e meio, a série KDE Plasma 5.12 é atualmente a versão LTS (Long Term Support) do aclamado ambiente gráfico disponível nas mais populares distribuições Linux. O KDE Plasma 5.12.9 LTS chega seis meses após o lançamento do KDE Plasma 5.12.8 LTS como mais uma atualização de manutenção que conta com um total de 24 correções e melhorias.

A Microsoft anunciou que vai sediar uma conferência com foco no Linux, denominada WSLconf 1, durante os dias 10 e 11 de março de 2020. O novo WSLconf (também conhecido como Windows Subsystem for Linux Conference) será um evento organizado pela comunidade e com participação gratuita. Ele será realizado no campus da empresa em Redmond, Washington.

A fabricante taiwanesa Acer se juntou oficialmente ao LVFS (Linux Vendor Firmware Service), uma iniciativa liderada pelo desenvolvedor open source Richard Hughes que permite que empresas de hardware possam distribuir mais facilmente e com segurança atualizações de firmware para os usuários Linux.

O próximo Ubuntu 19.10 contará com mais melhorias na velocidade de inicialização. Pelo menos é o que promete Colin Ian King, engenheiro que trabalha na equipe de desenvolvimento do kernel do Ubuntu. Segundo ele, foram feitos esforços para encontrar um algoritmo mais rápido de compactação/descompactação para o sistema operacional, que chegará no dia 17 de outubro.

Criado para o Ubuntu, mas disponível também nos repositórios de software de várias outras distribuições Linux populares, a ferramenta Snapcraft permite que os desenvolvedores distribuam facilmente seus aplicativos por vários sistemas operacionais, empacotando-os no formato binário universal e em container Snap.

A Microsoft confirmou recentemente que está trabalhando em uma versão para Linux do Microsoft Teams. Atualmente, a plataforma de comunicação universal da empresa de Redmond já possui suporte para macOS, iOS e Android, bem como, é claro, para o Windows, permitindo que equipes possam ter um espaço de trabalho onde podem conversar, compartilhar arquivos e trabalhar com aplicativos de negócios.

A fabricante Purism anunciou recentemente o lançamento da "versão estável" do PureOS, que é baseado no Debian e está sendo implantado em todos os laptops Librem da empresa, bem como no smartphone Librem 5. Até então, o sistema operacional da companhia era entregue apenas como uma versão "rolling release", ou seja, com o usuários recebendo atualizações contínuas.

A fabricante Purism anunciou as datas oficias de entrega do seu smartphone Librem 5, que está em desenvolvimento desde outubro de 2017 e, após alguns atrasos, o dispositivo chegará muito em breve para oferecer maior privacidade e a segurança. A distribuição será feita em lotes, que contarão com atualizações de hardware e software, além de design aprimorado. O envio do primeiro lote começa em 24 de setembro e termina no quarto trimestre de 2020.

Em seu mais recente boletim mensal, publicado na última terça-feria (3), o projeto Linux Mint revelou mais detalhes sobre o próximo grande lançamento do sistema operacional, que ainda não possui um codinome, porém, já possui data programada para lançamento. Se tudo ocorrer como o planejado, o Linux Mint 19.3 deve ser lançado oficialmente no Natal.

Foi lançado nesta sexta-feira (30) mais uma nova versão de desenvolvimento do Wine, a 4.15, que chega trazendo mais aprimoramentos para suportar cada vez mais jogos e programas do Windows. Entre os destaques, está a adição de uma implementação inicial do HTTP.sys do Windows como a pilha de protocolos HTTP, que é um driver que lista solicitações de HTTP e as passa para o IIS (Internet Information Services), da Microsoft.

Recentemente, a Canonical anunciou que o próximo sistema operacional Ubuntu 19.10 "Eoan Ermine" entrou no estágio de desenvolvimento "Feature Freeze", que é quando novos recursos não são mais implementados, mas apenas correções de bugs. Com isso, a próxima versão beta está programada para chegar no dia 26 de setembro.

A NVIDIA laçou hoje, 29 de agosto, novas versões do seu driver de vídeo para a plataforma Linux. Começando com sua nova série de curta duração, versão 435.21, que chega como uma atualização para o lançamento beta anterior, versão 435.17, que trouxe como principal destaque o suporte aprimorado para PRIME/multi-GPU. Desta vez, há apenas uma correção para um problema envolvendo o X.Org Server ao usar a funcionalidade HardDPMS.

Se você curte um bom jogo de corrida, temos uma boa notícia para você: por 72 horas, a Humble Store está dando de graça DiRT Rally. Em outras palavras, você tem até o dia primeiro de setembro para pegar o título e, caso consiga a chave de acesso, como não se trata apenas de uma oferta do tipo "free trial", o game será seu para sempre.