DXVK 0.93 chega com correções para Overwatch, Dark Souls III e Quantum Break


Para aqueles executando jogos do Windows no Linux com o Wine ou Steam Play, da Valve, o DXVK 0.93 foi lançado hoje, 24 de novembro, como o mais recente lançamento do projeto que, grosso modo, permite executar o Direct3D 10/11 sobre a Vulkan no sistema do pinguim. Entre os novos recursos, está o suporte para o DXGI 1.4 (DirectX Graphics Infrastructure) que, entre outras alterações, possui melhor gerenciamento de memória de vídeo.

Além disso, o DXVK agora oferece a nova opção de configuração "dxvk.numCompilerThreads" para definir o número de threads usados da CPU ​​para compilação do pipeline, porém, só possui efeito quando o cache de estado está sendo usado.

De acordo com Philip Rebohle, criador e principal desenvolvedor do projeto, "permitir que mais threads sejam usados pode ser útil para jogos que compilam todos os seus shaders [na inicialização], por exemplo, Overwatch e Quake Champions, especialmente em CPUs de baixo número de núcleos".

Como não poderia ser diferente, também existem correções envolvendo Dark Souls III, onde ocorria regressão de performance em GPUs com pouca VRAM, para Overwatch, que agora não deve mais renderizar de forma incorreta sombras com o driver NVIDIA, para Quantum Break, onde os jogadores sofriam com artefatos ao usar o RADV (driver Vulkan open source para placas da AMD) e foi corrigido o uso incorreto da combinação de fontes duplas no jogo The Witness.

Mais detalhes técnicos sobre o DXVK 0.93 podem ser conferidos no anúncio oficial, através deste link.

Muitos de vocês certamente irá concordar que o aplicativo Lutris é a maneira mais fácil de brincar com o DXVK, especialmente para o game Overwatch. Quanto ao Steam Play, a ferramenta da Valve está atualmente usando o DXVK 0.90, então da próxima vez que for atualizado, deve haver um grande impulso para vários jogos. Como sempre, trabalho incrível de Philip Rebohle.


FONTE: DXVK/GitHub | GamingOnLinux

Comentários