Devs do Linux Mint trabalham em mais melhorias para o Cinnamon


O líder do projeto Linux Mint, Clement Lefebvre, publicou hoje (31) uma nova postagem no blog oficial do projeto para informar a comunidade sobre seus planos para aprimorar ainda mais o sistema operacional. Com o Linux Mint 19.1 "Tessa" lançado no mês passado, a equipe de desenvolvimento agora concentrará seus esforços em melhorias, como é o caso das imagens ISO para o modo Live, que terão telas de inicialização renovadas com possíveis suporte para seleções de idioma e layout do teclado.

Outra área que receberá muitas melhorias é o ambiente gráfico Cinnamon, pois a equipe está trabalhando para acelerar o tempo de carregamento, otimizando dois componentes internos, DocInfo e Appsys, além de melhorar o desempenho do menu de aplicativos e simplificar seu uso, substituindo a categoria "Todos os aplicativos" por outra que liste os aplicativos usados recentemente, bem como os recém-instalados.

Clement Lefebvre também revelou hoje que sua equipe está trabalhando em algumas melhorias "sob o capô" para o Cinnamon para aumentar seu desempenho geral e torná-lo o mais leve possível para os usuários. Como tal, Jason Hicks continua a concentrar seus esforços em melhorar o gerenciador de janelas e a lista de janelas agrupadas, e o desenvolvedor de longa data Michael Webster está trabalhando para dividir o Cinnamon em vários processos.

"Ele está estudando a possibilidade de ter applets executados em seus próprios processos e renderizar objetos remotamente", diz Clement Lefebvre. "Isso é muito ambicioso e praticamente R&D [termo para pesquisa e desenvolvimento] neste momento. Esperamos que ele tenha sucesso com um protótipo. Caso contrário, também há a ideia de manter a renderização do conteúdo do applet no próprio Cinnamon e apenas delegar o processamento (semelhante a dbus–menu), ou para manter o Cinnamon e applets juntos e separar o WM."

A equipe por traz do sistema operacional também tem trabalhado ultimamente em uma nova ferramenta chamada cinnamon-stat-stracker, que promete permitir medir tempos de carregamento e uso de recursos ociosos para, por exemplo, CPU e RAM na tentativa de tornar o futuro Linux Mint mais rápido. Mais detalhes sobre o trabalho que atualmente está sendo feito podem ser encontrados no mais recente boletim mensal.


FONTE: Softpedia

Comentários