Devs do Wine estão preocupados com o abandono do suporte para 32 bits do Ubuntu


Recentemente, a Canonical anunciou que encerrará de vez o suporte para pacotes e bibliotecas de 32 bits a partir da próxima versão do seu sistema operacional, o Ubuntu 19.10, que deve chegar oficialmente em outubro. Contudo, parece que o anúncio da empresa não tem agradado muitos desenvolvedores, como é o caso do pessoal por traz do popular Wine, que já se mostram apreensivos com a mudança que, segundo eles, pode causar diversos problemas a curto prazo.

Mas não se trata apenas do Wine. O cliente Steam, por exemplo, está entre os pacotes que ainda predominam em um mundo de 32 bits. A Valve certamente tem os recursos para chegar a uma solução, especialmente com o Ubuntu sendo a distribuição Linux mais popular usada com o Steam, sem falar que a empresa ainda pode continuar enviando suas próprias bibliotecas do Steam Runtime de 32 bits e outras alterações conforme necessário.

No entanto, para projetos como o Wine, pode ser um pouco mais complicado fornecer pacotes de 32 bits para o Ubuntu, especialmente quando aqueles que empacotam a ferramenta para o WineHQ não querem se aventurar a fornecer uma coleção inteira de bibliotecas e dependências de 32 bits para satisfazer apenas o software.

Também parece que há vários desenvolvedores, pelo menos, céticos em relação à "solução" apoiada pela Canonical para usar pacotes do Ubuntu 18.04 LTS de 32 bits a partir de um Snap. Entretanto, fornecer uma compilação de 64 bits apenas para o Wine seria de utilidade limitada.

"Acho que não construir pacotes para o Ubuntu 19.10 seria a única opção prática. Provavelmente seria bom ter uma pequena explicação na página de download. Pelo que entendi, ainda seria possível executar executáveis de 32 bits no kernel do Ubuntu 19.10, mas teríamos que construir e enviar todas as nossas dependências. Eu acho que nós ainda não queremos chegar até esse ponto", disse Henri Verbeet, da CodeWeavers, na página de discussões do Wine.

O desenvolvedor Andrew Eikum, da CodeWeavers, trouxe a ideia de usar o Steam Runtime como pacotes dependentes de 32 bits. Isso poderia ajudar no curto prazo, mas ainda há alguns outros pacotes que precisariam ser resolvidos. Veremos o que acontece com os planos do Ubuntu 19.10 apenas para 64 bits nas próximas semanas.


FONTE: Phoronix
Comentários