Denuvo receberá suporte oficial para Linux ''assim que houver demanda''

A Irdeto, empresa por trás do Denuvo e do mais recente Denuvo Anti-Cheat, anunciou que os desenvolvedores do Steam agora podem obter integração anti-cheat direta através do Steamworks. Denuvo é uma das soluções de DRM (Digital Right Management) mais populares, aparecendo frequentemente em versões de jogos AAA populares para Windows. Agora, com este sistema de anti-trapaça facilmente disponível através do Steam, sem dúvida, muitos desenvolvedores irão querer usá-lo. Contudo, isso também pode trazer algumas preocupações. A questão é: como isso afetará a compatibilidade do Linux com jogos, tanto as compilações nativas de games para Linux quanto os títulos que possuem apenas versão para Windows, mas que podem ser executados no Linux através da camada de compatibilidade Steam Play/Proton? Acontece que a Irdeto também pretende suportar o sistema do pinguim, com o foco inicial sendo o Proton, com o suporte nativo chegando "assim que houver demanda". "Ainda não fomos contratados por uma organização que expresse interesse no suporte nativo do anti-cheat para Linux. Assim que houver demanda, não hesitaremos em assumir essa tarefa. É importante notar que já temos tecnologia anti-cheat nos consoles há muitos anos. Nossa experiência com ambientes semelhantes ao Linux no Nintendo Switch e Sony PlayStation 4 e 5 indica que o anti-cheat nativo do Linux efetivo exigiria um esforço desde o início e não apenas um port. Denuvo Anti-Cheat é fortemente dependente dos recursos de segurança do hardware, o que o torna bastante independente do kernel, então é apenas uma questão de 'quando' e não 'se'. Nosso melhor retorno financeiro a curto prazo é o Proton", disse Reinhard Blaukovitsch, diretor geral do Denuvo, ao site GamingOnLinux. Além disso, Reinhard também confirmou que o Denuvo Anti-Cheat não deve proibir que os usuários executem títulos do Windows no Linux nos modos single-player ou multiplayer cooperativo. "Por exemplo, campanhas ou partidas de jogos multijogador personalizadas. Os usuários do Linux não precisarão instalar um driver de kernel e a falta de um software anti-cheat não impedirá que o jogo seja iniciado", explicou. "Mesmo que não haja um driver de kernel, o processo do jogo do espaço do usuário realizará uma detecção significativa de trapaça. Os usuários Linux que acessarem o modo multiplayer serão informados aos serviços online como funcionando com integridade inferior." Contudo, Reinhard também alerta que alguns desenvolvedores de jogos podem optar por impedir que os jogadores Linux acessem modos de jogo que oferecem partidas competitivas, visto que esses ainda não possuem o sistema de anti-cheat devidamente instalado no sistema. "Faremos o nosso melhor para convencer os desenvolvedores e editores a permitir que os usuários Linux participem de modos competitivos. Ainda assim, devemos ser honestos com eles e divulgar nossa capacidade de detecção reduzida no Linux. Comunicaremos planos concretos para aumentar a capacidade de detecção do Linux e como a comunidade pode contribuir com o crescimento de nossa base de usuários", concluiu. Então, havendo demanda, algo que pode acontecer graças aos jogos do Windows rodando no Linux através do Steam Play/Proton, a Irdeto fará também uma versão do Denuvo para o sistema do pinguim, permitindo que os jogadores Linux possam ter acesso ao modo competitivo dos jogos de desenvolvedores que adotarem a tecnologia da empresa através do Steamworks. FONTE: GamingOnLinux
Tags :
Comentários